segunda-feira, 26 de abril de 2010

Dia cheio

Hoje foi um dia cheio. Parece esquisito reclamar de trabalhar das 8h às 19h para quem faz isso todos os dias, mas quem trabalha meio expediente vai me entender. Foi um longo dia no trabalho, das 8h às 19h. Ainda bem que o dia foi com pessoas legais, inteligentes e interessantes.

No final, eu só queria voltar para casa e entrar numa banheira de hidromassagem (se eu tivesse uma, claro), mas tinha um compromisso marcado há dias com um amigo. Agora, depois de um agradável jantar em pleno supermercado, posso dizer: ainda bem que tinha esse compromisso, pois esqueci de como o dia tinha sido puxado.

O que me leva a pensar: nada como uma boa conversa com um amigo querido para tudo entrar no ritmo novamente. :)

Tudo ao mesmo tempo agora

São tantos os projetos e vontade e ideias que às vezes desconfio que não dará tempo para tudo.

Estamos, minhas colegas e eu, em plena produção do documento para a qualificação. O prazo para entrega do rascunho final é 15 de junho. A banca receberá tudo certo e bonitinho no dia 15 de julho e a qualificação está marcada para a semana de 4 de agosto. Ansiedade a mil nas aulas de sexta-feira, quando fazemos a última matéria e temos orientação.

Resisti, mas depois vi que seria melhor e aceitei um co-orientador. Por enquanto, ainda não fez muita diferença, mas estou esperançosa de que fará muito em breve.

Os treinos de corrida seguem em ritmo intenso. Hoje, consegui, pela primeira vez na vida, correr 10km sem parar. Não foi fácil, mas consegui! Estou inscrita na meia-maratona, 22 de agosto. Vamos ver se até lá consigo dobrar a quilometragem.

Agosto será intenso com qualificação e meia-maratona, mas terá um fechamento que não dá para reclamar de jeito nenhum: a nossa viagem à França e à Itália. (faltam só 122 dias!). Bom, agora só falta começar a planejar os detalhes da viagem...

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Da trilha de algum filme que gostei

Everlasting love.

Impressionante

Os fiéis da Igreja Universal conseguiram transformar Botafogo no que - teoricamente - mais abominam: um inferno!

Passei o dia todo fora hoje e quando voltei para casa, lá pelas 17h, só deu para chegar até aqui caminhando. As ruas estão totalmente paradas e há uma gente feia, mas muito feia, pelas ruas. Não que todos os tais fiéis sejam feios, mas aqueles com quem eu cruzei realmente são.

Daqui de casa, dá para ouvir o barulho de muitas buzinas...

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Questão do lixo - Dá para se envolver

Precisamos melhorar nosso relacionamento com o lixo. Sou insistente neste assunto. Existem coisas bem simples que podemos fazer. Algumas delas:

- Optar por pilhas recarregáveis. Quando usar as que não são, lembrar de separá-las para colocar em uma lata de lixo especial. Já existem vários pontos de coleta em lojas, supermercados e bancos.

- Ter uma sacolinha reciclável na bolsa. Elas estão à venda em vários lugares. No Rio, as da Travessa tem um tamanho bom e custam só R$ 6. Imagina quantas sacolinhas de plástico dá para economizar com essa atitude? É realmente difícil abolir as sacolinhas de nossas vidas, mas podemos pelo menos começar a diminuir o excesso.

- Separar lixo é difícil? Que nada. Comece com o mais simples: o papel. Jornais, revistas, rascunhos, caixas de pizza (que não estiverem engorduradas), de remédios e de pasta de dente são recicláveis. No seu prédio não fazem essa separação? Bom, nada impede você de já ir treinando para o dia em que isso acontecer. Em relação ao papel, não se recicla papel higiênico, papel-carbono, pontas de cigarro e fotografias. Assimilada a separação do papel, passe para outras mais complexas, como a do vidro e a do plástico. Existem vários sites sobre o assunto separação do lixo. Na semana passada, o Bom Dia Brasil fez uma série sobre o assunto lixo. No site, tem uma lista do que pode ou não ser reciclado.

Isso já é um ótimo começo!

sábado, 10 de abril de 2010

Um pò di italiano

Lucio Dalla - Canzone

Giz

Já fui muito mais fã do Legião em outras épocas, mas vez ou outra ainda me sinto surpreendida pela banda. Giz fez parte de um disco que não tive, mas que ouvia muito na casa de uma amiga. Aquele disco, todo alegrinho, marcou meu primeiro ano de faculdade, no remoto 1994. Não sou de sentir saudades do passado, mas talvez sinta saudades da trilha sonora.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Estudos

Ando - mais do que - apavorada com meus estudos. Este fim de semana terá que ser de muitas horas de estudo. E também de páginas produzidas.

Ilhada 3

Hoje, ao ir à aula do mestrado, fiquei sabendo de mais duas histórias da chuva de segunda/terça. Minha professora estava na Praça da Bandeira na noite do alagamento e ficou ilhada em um posto de gasolina. A garagem de uma colega alagou e o carro ficou submerso. Outro, que mora em Olaria, na Zona Norte, ficou preso em Copacabana. E, ontem, a Tati, outra colega, que mora em Niterói, se viu obrigada a ficar no Rio, pois a situação lá em Niterói estava descontrolada. Hoje, ela conseguiu voltar para casa.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

terça-feira, 6 de abril de 2010

Ilhada 2

Dormi pesado na noite passada. Nem reparei que havia chovido tanto.

Acordei bem cedo, pois tinha treino puxado de corrida, mas enquanto me dava mais cinco minutinhos de sono, ouvi que a chuva estava forte. Resolvi dar uma espiadinha pela janela e vi que a rua estava toda alagada. Meu primeiro pensamento foi: fiz umas horas extras na semana passada, vou ligar para o meu chefe e dizer que vou usá-las hoje.

Acordei o Claudio para dizer que a situação estava esquisita. Ligamos a tevê e percebemos que nossa rua alagada não era nada. A cidade havia parado. Soube horas depois que a moça que nos ajuda com a limpeza aqui em casa chegou em casa as quatro da manhã. Teve gente que nem a essa hora conseguiu e ficou perambulando pelas ruas inundadas.

Fui liberada do trabalho - "regenfrei" -, e passamos o dia fechados em casa, observando a chuva enfraquecer para logo voltar mais forte, sem nunca parar.

Agora pouco, arrisquei uma saída rápida, uma ida ao super, pois a água estava no fim. Resolvi ir logo, supondo que tudo estaria fechado quando anoitecesse.

A rua ainda apresentava muita água no meio-fio. Não eram nem cinco horas, mas não havia gente ou carros pelas ruas. Sensação estranha. No supermercado, pouca gente trabalhando, pouca gente comprando.

Enquanto eu estava lá, caiu outra chuva forte, suficiente para acumular mais água ainda na rua. As fotos estão ruins, mas mostram um pouco - quase nada - de como estamos por aqui.









Novos recursos

Estou instalando uns recursos novos no blog. Este é apenas um teste e estou usando o desenho animado Simon's Cat.

Ilhada

Ontem, falei que o tempo parecia indeciso. Isso foi ontem. Hoje, ele tem certeza do que fazer: chover, chover e chover. Estamos ilhados, as ruas ao redor de casa estão cheias.

Atendendo ao pedido do prefeito, ficarei em casa hoje. Mesmo que eu quisesse, não poderia sair...

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Sol + chuva

O clima aqui no Rio passou o dia meio indeciso hoje. Foi de nublado a ensolarado. De garoa à chuva com vento. Eu andei duas vezes de metrô e nunca sabia ao certo como seria ao sair do buraco. Por sorte, não precisei abrir minha sombrinha em nenhum momento.

Parece que as tarefas que não deu para realizar no fim de semana serão realizadas com sucesso neste fim de folga. :)

domingo, 4 de abril de 2010

Resultados

Costumo ficar um tanto frustrada quando não consigo realizar tudo que tenho planejado para determinado espaço de tempo. Deve ter alguma coisa com o fato de ser virginiana e de fazer listas de tarefas com prazos.

O fato é que tinha uma longa lista para este feriadão de páscoa e não consegui fazer nem a metade.

Fechei o frila que tenho que entregar na segunda, mas fiquei devendo nas leituras e nos escritos do mestrado. Os próximos dias serão pesados – pelo menos até eu assinalar tudo que tenho listado...

Por sorte, ainda tenho mais a segunda-feira de folga. Quem sabe assim consigo me redimir um pouco (comigo mesma).

Cafezinho

São cada vez mais raros, mas ainda existem lugares que servem um copinho de água mineral com o espresso. Não deveria ser o contrário, agora que tanta gente começa a se interessar por cafés?

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Coelhinho


Ontem, quando voltei para casa à noite, depois do café com a Marie e da rápida passagem por Copacabana, encontrei meu presente de páscoa: um ovinho de chocolate. Adorei. É exatamente do tamanho que preciso, para ser comido de uma só vez. Adorei. Obrigada, coelhinho.

Hoje, em uma ida ao shopping para tomar café da manhã, ganhei mais um presente de páscoa: este livro da Marian Keyes. É curioso: o livro importado, em inglês, custa R$ 15,33. Já o nacional, em português, R$ 59.