segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Passeio pelo Rio

















Recomeço

A primeira tentativa do detox foi bem sucedida durante 10 dias, mas compromissos sociais nos tiraram o foco.

Recomeçamos, pois, hoje de novo, pois foi muito boa enquanto durou, duas semanas atrás.

Sabemos já que na quinta-feira nossa 'dietinha' saudável vai para o espaço de novo, mas sempre por boas razões: os oito pratos do menu do Eñe! Na sexta, mais festinha. Assim fica difícil, mas vamos seguindo da melhor maneira que dá.

Hoje à noite, daqui a pouco, estará saindo do forno um frango especial, receita da revista Gula, com limão siciliano, tomilho e alho. Tudo no forno! Para acompanhar, arroz integral no capricho.

Se serve de consolo, pelo menos estamos há 20 dias sem beber refrigerante...

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

detox - dia 9, uma pausa

Chegamos ao nono dia do detox abalados pela saída da noite anterior. As primeiras horas foram ok, com comida dentro do permitido e tudo mais. Quando chegou à noite, veio a tentação. Resistimos. Resolvemos fazer uma massa de arroz, comprado no dia anterior no Zona Sul. Cara, mas dentro do permitido. Quando Claudio jogou a massa na panela, gritou para mim lá no quarto que o jantar estava abortado. Eu, impactada pelas tragédias que assistia na tevê, sai correndo até a cozinha. A massa estava cheia, eu digo cheia!, de bichos de duas espécies. Que nojo!!! Tivemos de apelar para uma pizza que estava na geladeira há duas semanas, feita por um parente do Claudio. Já que íamos sair do detox, resolvemos abrir meia garrafa de vinho, mas escolhemos - por acaso, confesso - um produzido de forma orgânica. Já provamos muitas garrafinhas desse Hex von Wein, mas esta estava no ponto para ser bebida. Muito bom!

Como receberemos visitas hoje, resolvemos dar uma pausa no detox, que agora já meio que perdeu a validade, e retomar a alimentação balanceada e sem conservantes e aditivos na semana que vem. De qualquer forma, dá uma pena voltar à "vida normal". Pelo menos hoje à noite começaremos com uma receita bem natural, por assim dizer, uma brandade de bacalhau, que adoramos.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

detox - dia 8

Ontem cheguei tão tarde em casa que nem deu para fazer o post do dia. Foi aniversário do Miguel, amigo do Claudio mais jovem da turma. Fomos ao Astor.

Até esta saída, estava indo tudo bem, mas ontem acabamos saindo um tantão da meta.

De manhã, tudo certo, mamão com granola, muita água. Almoço, mais uma vez, arroz de lentilhas com salada de tomate. À tarde, como era dia de faxina aqui em casa e não poderia estudar, resolvi ir ver Além da Vida. Gostei, é bem feitinho, tem um ritmo mais lento do que estamos acostumados hoje com filmes americanos. Saí do cinema feliz.

Antes da sessão, tomei um suco sem açúcar de abacaxi com o morango no Big Bi ali da praia, perto do cinema. Estava bem bom.

Ao sair do cinema, fui pegar meus óculos novos, mais leves, mas ainda assim um óculos... (Eu não gosto muito de usar óculos)

Passei correndo em casa para um banho antes de irmos para Ipanema. O Astor é um boteco, arrumadinho, mas ainda assim um boteco. Então, havia lá comida de boteco. Um pouco mais arrumadinha talvez, mais paulistana por assim dizer. Comecei com um caldinho de feijão para aplacar a fome maior enquanto tentava achar no cardápio algo mais 'leve'.

Quando vi que não ia ter jeito, resolvi relaxar e pedi até um chope. Depois segui no suco de laranja e água. Depois do caldo de feijão, resolvi comer moules et frites. Depois que descobri que gosto, virei fã! Estava delicioso.

No final, acabei me dando o direito de comer umas colheradas de um pavê que foi pedido para colocar uma velinha.

Saímos do detox, mas foi uma boa saída.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Detox - dia 7

Êêêêêê!!! Conseguimos fechar uma semana de detox!

Amanhã seremos colocados à prova. Temos festinha de aniversário em bar bacana de Ipanema. Vamos ver se vai dar para resistir a tudo!

O dia de hoje não teve novidades. Aliás, não teve nada de novidades. Mamão com granola no café da manhã. Almoço com um pouco do arroz de lentilhas de ontem e a salada de tomates. Estava bem bom! À tarde, resolvi comprar um suco Do Bem, que diz na embalagem ser suco de uva integral, sem adição de açúcar e sem adição de conservantes. É bom, mas ainda prefiro o suco de uva feito pela minha mãe. Foi bom para distrair o estômago no meio da tarde. Hoje, aliás, eu estava meio sem fome. Quer dizer, até as sete da noite. Resolvemos reeditar o jantar de ontem e acabei repetindo o arroz de lentilhas com nova saladinha de tomates. Não me arrependi!

Agora, depois de uma produtiva noite de estudos, melhor ir dormir. Senão amanhã, o dia não será tão produtivo assim.

Boa noite!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Detox - dia 6

Chegando ao final do sexto dia da detox, há uma confusão de sentimentos.

Se há algo que eu adoro é dar uma volta na rua com o Claudio para tomar um café, caminhar até o shopping para uma sobremesa rápida ou dar uma passadinha na Cobal para comer um docinho. Não estou sentindo falta do café, da sobremesa do shopping ou do docinho (bom, na verdade, do docinho estou), mas dessa paradinha de 15, 20 minutos para um descanso na cabeça ou para uma conversa sobre qualquer coisa irrelevante. Casas de suco não se prestam muito a isso, pelo menos não as daqui de perto de casa.

Ou talvez tudo isso seja apenas crise de abstinência de pão! :)

Hoje o dia foi tranquilo. De manhã, mamão com granola. Almoço foi com restos de arroz integral e purê de grão-de-bico/batata. Faltou alguma coisa para complementar, mas deu para matar a fome. À noite, caprichamos! Claudio resolveu tentar fazer uma receita da mãe dele, mas com algumas adaptações. Ficou diferente, mas gostosa.

Foi arroz de lentinhas, com uma cebolas levemente caramelizadas com um pouco de azeite e salada de tomates cortadinhos bem temperada. Normalmente, a receita do arroz leva bacon e caldo knorr. Preferimos evitar os dois, mas precisamos colocar um pouco mais de sal. O resultado foi bom. Para acompanhar, suco de laranja feito na hora. Mais um dia se foi. :)

Uma das razões de fazer esse detox agora também é fazer o tempo passar mais devagar. Explico: fazer detox é meio um sofrimento e sofrimentos demoram passar. Simultaneamente, estou correndo contra o tempo para terminar minha dissertação. Nesse caso, o tempo parece correr. Estou tentando ver qual vai ser a sensação até o fim do mês, quando o detox acaba e a dissertação já vai ter que estar bem estruturada. :)

domingo, 9 de janeiro de 2011

Detox - dia 5

O dia começou já quase na tarde hoje aqui em casa. Ontem, ficamos vendo um filme na tevê até tarde e hoje não deu jeito de levantar cedo. Por isso, resolvi comer apenas uma banana de manhã, pois o almoço não iria demorar. Claudio incrementou com granola.

Depois de eu ficar estudando por umas duas horinhas e o Claudio ir à praia, fomos almoçar com a família. Escolhemos um prato bem leve, que estava bem bom: peixe grelhado com legumes cozidos. Foi menos difícil do que eu imaginei que seria.

Só erramos a mão no jantar, sem querer. Resolvemos comer uma salada fora de casa. Pensamos no Delírio Tropical, mas já estava fechado. Acabamos indo ao Bumerangue, mas foi tudo errado. Primeiro, esquecemos de dizer que nossos sucos eram sem açúcar - o meu de abacaxi com morango, o do Claudio de manga.

A salada tinha tudo para estar boa, mas o cozinheiro resolveu caprichar no molho e ensopou todos os ingredientes. Tiramos o excesso, mas o mel contido no molho adoçou tudo... Comemos, mas meio desanimados. Bom, isso não se compara a frituras ou produtos industrializados, mas mesmo assim, podia ter sido evitado...

Estou em sentindo muito bem. É muito bom não se sentir pesada.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Jardim Botânico

Quando a mãe veio nos visitar, andamos pelo Jardim Botânico. Passeio bem bonito!









Detox - dia 4

Conseguimos completar quatro dias de nosso personal detox. :)

Como sábado é um dia com mais horário livre, aproveitamos para dar uma caminhada de manhã e tomar café no Hortifruti: salada de frutas bem variada e fresquinha e depois uma água de coco. Bem bom!

Já não aguentávamos mais ver a nossa salada de quinoa, mas não íamos jogá-la fora. Por isso, no almoço, resolvemos comprar um frango grelhado aqui perto de casa, o qual foi acompanhado pela salada, que hoje parecia ainda melhor. Bom, agora sobrou só um restinho mesmo.

De tarde, o dia foi de estudos. De repente, como sempre, me deu um sono aniquilador. Foi só eu me deitar na cama para não me lembrar de mais nada. Dormi uns 40 minutos e até sonhei. Acordei toda dolorida. O sonho foi uma loucura, com direito a festa à fantasia e tudo. :)

O jantarzinho era para ser fora de casa, mas tínhamos um pote de grão-de-bico nos interrogando toda vez que abríamos a geladeira. Resolvemos fazer hamburgueres em uma receita louca que o Claudio inventou. Acabou virando um purê com batatas. Ficou delicioso, bem temperado! Combinou com o brócolis e com o arroz integral que fizemos para acompanhar. Meio calórico, mas ah, é sábado!

Resistimos bravamente a abrir um espumante geladinho que está na geladeira para um dia de calor como hoje. O suco de abacaxi estava ótimo!

Sexta-feira produtiva e o detox - dia 3

Ontem o dia foi dedicado a estudar, mas dei uma escapadinha para rua para comprar uma armação nova e fazer um óculos novo, mais leve. Já que não posso usar lentes de contato direto, pelo menos vou ter duas opções de armações. Essa atual já tem mais de dois anos...

A alimentação diferenciada que estamos fazendo não é exatamente uma dieta para perder peso, mas não comendo um monte de bobagens acaba sendo meio natural dar uma desinchada. Estou me sentindo bem melhor - e mais feliz.

Lá em São Paulo, considerei a gota d'água o fato de não me sentir confortável na bermuda que levei para passar a virada e ter que colocar outra. Dessa maneira não dava para continuar.

Para chegar ao que quero, porém, terei de incluir novamente exercícios no meu dia-a-dia, mas neste momento estou tentando dedicar todos os momentos que posso aos estudos. Se der, vou tentar caminhar algumas vezes por semana a partir de amanhã.

Ontem à noite, conseguimos dar uma passeada por Copacabana e Ipanema, não é bem uma caminhada, mas já é alguma coisa. Tirando isso, sigo indo e voltando a pé para o trabalho. E quando tenho orientação, volto caminhando também do IBICT. Acho que é melhor do que nada.

A alimentação ontem foi parecida com a do dia anterior, pois fizemos salada demais na noite de quinta. De manhã, comi um pedação de melancia. O mamão que compramos e as bananas ainda estão verdes... :( O almoço foi a salada de quinoa. Claudio a incrementou com frango, cogumelos e um restinho de arroz integral que tínhamos na geladeira. Ficou bem boa e acabou sendo nosso almoço e mais tarde, jantar. Com suco de laranja feito na hora.

De tarde, depois de comprar o óculos e de fazer mais algumas coisinhas na rua, tomei um suco de mamão com laranja. Poderia ser outro, mas como estamos evitando o açúcar, optei por um que não ficasse amargo demais sem adoçar.

Ah, sim, os estudos também renderam nesse dia. Revisei algumas páginas que o professor havia lido e adiantei mais algumas.

À noite, como já contei, caminhamos no calçadão. Coisa boa! Praia cheia, muitas pessoas nas ruas. Essa é mais uma razão para eu achar tão bom estar no Rio de Janeiro!

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Instinto

Claudio ainda precisava trocar um presente e fomos ao shopping hoje à noite. Eu estava caminhando por lá quando vi uma criança chorando baixinho, tremendo e encostada em uma vitrine.

Estranho, pensei.

Cheguei um pouco mais perto, mas ainda meio de longe, perguntei se ela estava bem.

- Minha mãe estava ali, mas não está mais - apontou para dentro de uma loja.

Fui chegando um pouco mais perto e ela repetiu que a mãe não estava mais ali.

Vi que tinha um guarda do shopping por perto, fiz um sinal e ele logo veio. Perguntei ao atendente da loja se havia alguém provando roupa. Ele falou que não. O guarda começou então a falar pelo rádio.

Nisso, um outro vendedor, que percebeu a cena, falou que havia uma moça no provador e que ela tinha uma criança. Pegou o menino e o levou até lá. Caso resolvido.

Curioso é que depois passei pelos dois no corredor e a mãe nem na mão do menino estava pegando. Ele ainda estava meio choroso... Isso vai além da minha compreensão - de 'sem-filhos'.

Detox - dia 2

O dia começou com um sono além da conta, o que me levou a tomar banho correndo e, ao invés de bater minha papinha, comer as frutas com granola. Não foi ruim. Sai de casa na pressa, mas peguei um pouco do risotto com legumes que o Claudio preparou ontem e mais um tantinho de salada. Levei uma maçã também para o caso de bater aquela fominha das 10h.

Esquentei minha comida, mas achei que o risotto havia ficado doce - explico: para fazer o arroz, Claudio usou uma água em que havíamos cozinhado tortéi, que é feito de moranga, bem docinha. Acabei comendo metade apenas e mais a minha salada. Aproveitei para complementar com a maçã. Não fiquei com fome.

À tarde, depois da orientação, normalmente passaria no Rio Sul para um sorvetinho Häagen Dazs, mas preferi seguir caminhando até o Hortifruti e comprar uma salada de fruta. Ao chegar lá, a melancia estava tão bonita, que resolvi levar um pedaço para casa. Aproveitei para comprar nozes e damascos, para os momentos de fome.

A melancia estava saborosa mesmo!

Para o jantar, fizemos uma salada de quinoa bem bonita. Ficou um pouco puxada no curry, mas boa - depois que pensamos que o curry era industrializado, mas aí já era tarde demais. Amanhã, vamos acrescentar frango e um pouco mais de quinoa à mistura de cenoura, passas, grão-de-bico e cebolinha. A receita foi de uma edição da Women's Health. Vale provar.

Para encerrar o dia, dois damascos. Vencido o segundo dia.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Detox - dia 1

Impressionante, fui escolher para começar nossa 'detoxicação' justamente em um dia de festinha de aniversários no trabalho! Fiquei firme diante dos vários queijos, dos bolos e da torta de maçã feita especialmente para a data por uma colega. Podia ter comido um pouco, eu sei, mas, sinceramente, não me arrependi de resistir.

Mesmo porque, como pelo menos uma pessoa da equipe nunca come doces, havia morangos, uvas e tomatinhos. Foi isso que eu comi e fiquei feliz.

Voltando um pouco. O dia começou com o já tradicional copo d'água, recomendação do homeopata que consultei meses atrás. Em seguida, ao invés do chá recomendado por ele, um pouco de água morna com gotas de limão. Dizem os entendidos que isso ajuda a limpar o organismo...

O café da manhã foi a papinha que eu também aprendi com o homeopata. A de hoje teve um pedaço de mamão, um de abacaxi, mais linhaça e gengibre. Tinha esquecido como era boa.

É engraçado como podemos ser influenciáveis. Foi só pensar que hoje começava a detox para começar a sentir vontade de comer todas as porcarias que nem fazem parte das minhas extravagâncias.

O almoço foi uma salada esperta preparada ontem à noite. A minha salada, com alface americana, tomate, cenoura, pera, azeite de oliva, alho, cebola, aceto, sal e pimenta-do-reino. Um potão. Bem boa!

Quando cheguei em casa, estava morrendo de fome. Ainda preciso me organizar com os lanches da tarde. Comi algumas amêndoas e, mais tarde, lá pelas 16h30, dividi com o Claudio um pêssego e uma maçã.

O jantar nem pareceu tão diferente: peixe no forno com molho de tomate e arroz integral. Bem leve e saboroso.

O que não fiz muito hoje - e normalmente é natural - foi beber várias porções de água. Amanhã, pretendo me programar para consumir meus 1.300ml diários.

O dia passou tranquilo, mas vou ter que me planejar bem para me manter firme pelos próximos 20 dias...

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Despedida da comilança

Uma das decisões de fim de ano, tomada ainda em novembro, foi assinar a revista Women's Health, que lia de vez em quando de cabo a rabo. Acho a melhor da categoria. É uma mistura boa de Nova e Boa Forma, mas sem os exageros das duas. Revista para mulherzinhas do século XXI.

Na edição mais recente veio uma matéria sobre detox. A Megui já tinha feito uma no ano passado. A minha amiga Tati e o namorado passaram por uma recentemente. Se eu já tinha vontade antes, com as dicas da revista resolvi encarar.

Bom, ainda não começamos. Por isso esse ar faceiro. Vamos ver quando a coisa estiver funcionando direito.

Começamos amanhã. Sem doces, sem álcool, sem café, bolos e pães, mas com legumes e verduras de sobra, muita água, arroz integral e saladinhas maneiras. Vai ser bom!

Afinal, preciso - e muito - desinchar esses 2km que há mais de ano não querem me abandonar.

Até ganhamos uma balança nova de Natal para ajudar no controle.

Não é para ser dieta, que fique bem claro, mas acho que também vai ajudar a colocar as coisas em seus devidos lugares, especialmente a marcação que deve aparecer na balança!

Amanhã, o primeiro relato!

Excesso de bagagem... na geladeira

"Não pode nem olhar a geladeira, perdemos alguns espaços", me diz 0 Claudio do outro lado da bancada da cozinha depois de terminar a arrumação dos nossos vinhos. Desde a volta da viagem, ele não ainda tinha organizado os vinhos antigos, os vinhos novos, os que ganhou no Natal... Resolveu fazer isso hoje à noite enquanto eu estudava...

Nem tive coragem de ir lá olhar o que restou de espaço depois que ele me informou que os vinhos da geladeira superam o número de garrafas guardadas na adeguinha... Onde vou guardar minhas verduras e frutas?

domingo, 2 de janeiro de 2011

Devagar e sempre

Eu bem que tentei, mas talvez tivesse sido melhor negócio ter ido ao Jobi com o Claudio, para encontrar a Sabrina e o Zé Rodrigo, do que ficar em casa para estudar.

Até repassei o texto, mas todas as boas ideias que eu tive na primeira leitura se perderam. Tentarei amanhã de novo. Quem sabe elas voltam.

Dia de volta para casa normalmente é assim, meio esquisito. Saímos de São Paulo antes do almoço. Já desfiz a mala, lavei roupa, arrumei tudo para amanhã, mas o ânimo para estudar, que eu achei que teria, não apareceu.

A viagem a São Paulo foi boa. Achei que faríamos mais coisas, mas eu estava tão cansada. Também queria não gastar a energia que precisaria para a São Silvestre.

A prova foi muito bacana. Valeu muito a pena ter ido. Gostei muito. Não tive a mesma sensação de descoberta e de desafio da meia maratona, mas foi legal. Eu sabia que iria acabar, independente do tempo que levasse, diferente da meia.

As figuras que participam da prova são muito malucas. Adorei essa parte. Tão bom ver que existe gente ainda com grande senso de humor e animação.

Os programas em São Paulo foram poucos. Estava tudo em ritmo de feriado. Acabamos não tendo nem uma grande saída. Apesar da boa pizza que comemos na Bendita Pizza, ficou faltando um bom jantar paulistano.

Pouco antes da largada, todo mundo já concentrado na Paulista.

Descida da Consolação. Começaram a aparecer os primeiros 'malucos'. Com esses aí, eu iria cruzar uns 6km mais tarde de novo...

Muita gente na minha frente...

Olha onde seria a mega-sena da Virada, na Praça da República!

Vizinhos do Minhocão acompanharam tudo de perto.

Inclusive a paradinha dessa turma aí para uma foto para o jornal!

Eu ainda estava lá em cima do Minhocão quando essa leva já fazia a curva lá embaixo.

Ainda tinha pelo menos mais uma hora de prova...

Pelo menos eu estava acompanhada pelo Homem de Ferro.

E na subida final, pelos funcionários da prefeitura...


Cheguei junto com a Dilma!

Feliz 2011 para todos!