Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Ida à locadora

Como planejado, em minha penúltima ida à locadora, peguei Você vai conhecer o homem dos seus sonhos. Eu estava tão animada - ainda estou - com Meia-noite em Paris, que resolvi ver logo esse Woody Allen dos mais recentes que ainda me faltava.

Não é arrependimento o que sinto pelos R$ 8 gastos, mas, sinceramente, talvez eu tivesse ficado mais feliz com um DVD do Glee. Achei o filme tão sem graça, a história tão boba, me lembrou um pouco Match Point, mas aquele, pelo menos, tinha uma história mais intrincada. Esta de agora era a mais óbvia possível.

Quando fui devolver o filme ontem, resolvi voltar para casa com outro filme, para não terminar o fim de semana desesperançosa. Peguei Amor e inocência, uma tradução meio ridícula para Becoming Jane, sobre a escritora Jane Austen.

Foi uma boa escolha, especialmente por me fazer lembrar que preciso completar as leituras de Jane Austen. Entram para minha lista interminável do que gostaria de ler.

O que cabe em duas malas?

Imagem
Dias desses, como escrevi logo abaixo, assisti Comer, Rezar, Amar. Uma das cenas do filme me veio à mente ao pensar um pouco sobre o título do livro de Veronika Peters, que acabei de ler neste fim de semana. A personagem de Julia Roberts posiciona-se em frente a uma daquelas garagens-depósito tão comuns nos Estados Unidos e comenta que a vida dela cabe toda naquele cubículo. O funcionário rebate dizendo ter ouvido aquela mesma frase várias vezes e que muitos nunca mais retornam para buscar "toda a vida ali deixada".

O título do livro da alemã Veronika Peters - O que cabe em duas malas, uma viagem para dentro - remete a ideia semelhante, apesar de não parecer ter relação direta com a história contida nele. Veronika, ela mesma e não uma personagem, decide tornar-se freira. Escolhe uma ordem, a conhece um pouco e depois de algumas experiências decide virar noviça, entrando para o convento. Ao chegar, carrega consigo duas malas. Tudo que ela tem está ali. Na verdade, percebe-se …

Viagem no tempo

Ontem fomos assistir o novo filme do Woody Allen, Meia-noite em Paris. Eu não vi todos os filmes do Woody Allen, mas dos últimos acho que ficou faltando só Sonhos de Cassandra. Você vai conhecer o homem dos seus sonhos pegarei na minha próxima ida à locadora.

Nos minutos iniciais do filme, Woody Allen conquista metade da plateia, aquela metade que já esteve em Paris e ama a cidade incondicionalmente. Ele soube escolher as cenas. São aquelas bem para turistas, mas, convenhamos, são lindas mesmo. Eu reconheci algumas delas de nossa última viagem.

Tenho simpatia pelo Owen Wilson e fiquei feliz em vê-lo neste filme. A atriz, que parece a irmã loura da Paola de Oliveira, eu ainda não conhecia. Ou, se conhecia, não lembrava. Adriana, a bela garota dos anos 20, eu já havia visto em Um bom ano. No mais, é sempre bom ver Kathy Bates.

Além da história que fui gostando cada vez mais ao longo do filme e das imagens de Paris, o que mais gostei foi da curiosidade que o filme nos desperta. Agora, qu…

Comer, rezar, amar

Imagem
Finalmente, ontem assisti o filme Comer, Rezar, Amar. Gostei muito. É uma história bonita e não se torna menos bonita mesmo com todos os comentários nem tão abonadores que recebeu logo que foi lançada. Quem conhece os lugares visitados pela protagonista talvez condene um pouco os clichês e tudo o mais, mas é um filme, tem menos de duas horas de duração e neste tempo é claro que não vai caber tudo sobre Itália, Índia e Bali. No geral, eu fiquei bem satisfeita com o que vi.

Única coisa que achei estranha foi a história de que no Brasil os pais cumprimentam os filhos com um beijinho na boca. Já vi mães fazendo isso com filhos pequenos, mas só também. O Brasil é muito grande e às vezes existem costumes regionais, mas eu nunca ouvi falar desse. Alguém já?

Ver esses filmes de viagem deixam ainda mais viva a minha vontade de fazer isso. Dá vontade de preparar uma mochila e partir. O destino é o que menos importa, o que vale mesmo é ir conhecer algo diferente ou rever algo que marcou.

Uma cena e…

Dia dos Namorados e outros

Nas últimas três noites, encontrei-me com várias pessoas queridas. Tive encontro com colegas do mestrado. Na primeira delas, para ver a Bia grávida. Está linda com sua barriguinha de 5 meses.

Na outra noite, o encontro foi com os colegas de sempre. Como nossas festinhas são animadas e divertidas. Eu adoro! Nossa relação é a prova de que idade ou bagagens e experiências diferentes não atrapalham em nada uma amizade. Na verdade, a tornam mais interessante.

E ontem recebemos os amigos do Claudio da época da faculdade. Foi bem legal, como sempre. Realizamos a 2ª Noite Gaúcha. A primeira havia sido em agosto de 2009. Desta vez, fizemos sopa de agnolini, paçoca de pinhão e arroz-carreteiro. Como estávamos no embalo, fizemos também um feijãozinho. Estava tudo bem bom!