sábado, 20 de outubro de 2012

Novela

Tenho poucas novelas no meu currículo. Nunca fui muito viciada, mas pelo menos umas quatro ou cinco me lembro de ter seguido com atenção: Bebê a Bordo, Top Model, Vamp, quando ainda era adolescente; Andando nas Nuvens, logo depois de formada (no meio da novela, fui morar na Alemanha), porque tinha uma redação de jornal; e Mulheres de Areia, bem recentemente, porque era como uma viagem ao passado, no tempo em que se vivia sem celular e escovas progressivas.

Desde que vim morar no Rio, Claudio e eu nunca paramos para ver novela, tampouco ficamos em casa para ver final de novela. Onde já se viu?!, diria eu em muitos e muitos outros momentos. 

Bom, a gente sempre, sublinhado e em bold, acaba mordendo a língua quando somos enfáticos, intolerantes e preconceituosos demais: não é que me peguei planejando como faria para assistir o final de Avenida Brasil ontem à noite? 

Compramos sushi e abrirmos um vinho branco para acompanhar a novela! Claudio precisou dar uma saidinha, mas voltou logo. No final, como não temos televisão na sala, acabamos vendo a novela para depois ir jantar.

Eu não tinha acompanhado Avenida Brasil, mas a falação toda despertou minha curiosidade. Eu havia visto um trecho uma vez quando fui à emergência do Copa D'Or. Foi lá que vi pela primeira vez a Carminha, aquele pessoal dançando na abertura da novela e a Nina. Na época, achei a novela pesada demais. 

Quando fui para o Mato Grosso do Sul, na falta de nada melhor para ocupar a noite, assistia todas as novelas com a mãe. Acabei me inteirando mais da história, que naquele momento não estava tão cheia de tragédias.

Ao voltar, em desliguei de novo, mas nas últimas duas semanas, me peguei vários dias ligando a tv para acompanhar o que estava ocorrendo. Assim, não poderia perder o último capítulo. 

A Globo pode ter forçado uma barrazinha, mas a verdade é que fiquei até emocionada por algo envolver tantas pessoas. Somos mesmo uns noveleiros! E não temos que ter vergonha disso. 

O final foi previsível, o autor não quis arriscar muito, me pareceu, mas eu gostei. O bem superou o mal, a vilã pagou pelo que fez, perdoou a inimiga, mas não perdeu seu senso de humor característico ("Só o que me falta, além de pobre, gorda!"). 

Li muitos comentário no Facebook e hoje de manhã no salão de beleza. Foi até engraçado. Pareceu-me, e isso não tem base científica alguma, que meus amigos classe-média queriam que o mal imperasse. Já para as manicures, que, julgo eu, encaixam-se na dita classe C, o final foi belo, exatamente pelo bem vencer o mal. 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Um dia bom!

Hoje foi um dia cheio de tantas atividades.

Comecei acordando uma hora mais cedo do que deveria. Sei lá, acho que, como alguns computadores, meu corpo achou que já era horário de verão.

Entreguei o presentinho 35 da contagem regressiva para o aniversário do Claudio. 

Hoje a aula era no fundão, como é chamado o campus da UFRJ, que fica na Ilha do Fundão, lá para os lados do Galeão. 

Combinei de ir com uma colega e nos encontramos na frente do Botafogo Praia Shopping para nossa última aventura até o fundão. Normalmente, temos aula aqui na Praia Vermelha e ir ao fundão causou certa revolta. Bom é que as cinco semanas passaram e agora voltaremos à programação normal de aulas ali no IBICT. No final, nem foi tão ruim assim. Fui a quatro das cinco aulas. Ganhei carona para ir em duas delas e sempre voltei com colegas, de carro. 

De tarde, a aula foi cancelada. A professora não conseguiu voltar de Campinas devido ao "caos aéreo". Aproveitei para adiantar outras coisinhas em casa, pois mais tarde teria reunião com meu orientador. Como o IBICT está em obras, marcamos no consultório dele, em Ipanema. Meu orientador é médico. Prático, não? Se eu tiver um surto, já tenho a quem recorrer. 

Depois, encontrei com o Claudio na esquina da Vinicius e fomos jantar. Estávamos morrendo de fome. Aproveitamos para comer no Shopping Leblon, pois eu ainda queria tentar pegar um autógrafo na Travessa. 

Na semana passada, depois de ler este texto aqui da Cristiane Segatto, decidi comprar o livro Te Cuida - Guia Prático para uma vida saudável, do médico mineiro Cláudio Domênico. Nem sabia que era lançamento. Adorei, li em três dias. Aí no domingo saiu uma matéria com ele n'O Globo, avisando que o livro seria lançado hoje. Fiquei pensando que gostaria de encontrá-lo pessoalmente. 

Resumo: esperamos 1h30 na fila, mas valeu. Ele foi supersimpático, apesar de ter autografado quase 1500 livros. Vendeu todos! Esgotou na Travessa e, olhei agora, no site também. Fico feliz, pois o livro é muito bom, inspirador, eu diria. Pretendo fazer algumas alterações na minha vida baseadas nele.

Chegando em casa, ao ler meus e-mails, tive ainda outros momentos felizes. Teremos visitas de amigos em novembro, uma amiga querida de tempos me escreveu uma frase linda. Poucas coisas que dão mais alegrias que os meus amigos - e sou-lhes muito grata por isso.

Hoje vou dormir feliz!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Pena de si mesmo? Adianta para quê?

Hoje quase caí na cilada de ficar com pena de mim mesma.

Trabalhei, apesar de ser feriado, mas até aí, normal, pois estou acostumada faz tempo a trabalhar em feriados ou fins de semana. Até ganhei uma carona, para não precisar circular pelas ruas vazias do começo da manhã.

A tal peninha veio mesmo na hora de sair do trabalho. Só percebi que estava chovendo quando cheguei na porta da rua. Pensei em pedir para o Claudio me pegar, mas ele estava em Copacabana almoçando. Foi aí que pensei: coitadinha de mim, vou ter que ir a pé, sem guarda-chuva, de óculos, vou me molhar toda.

Nos primeiros 100 metros, fui encolhida, causando dó.

Foi quando me dei conta que era uma grande bobagem. A chuva estava fininha, eu estava bem agasalhada, água seca e que estava tomando chuva pelo simples fato de ter esquecido de pegar um guarda-chuva de manhã. A previsão era de chuva, não fui pega de surpresa.

Também pensei que ficar com pena de mim mesma não ia mudar em nada a situação.Cheguei um pouco molhada, é verdade, mas nada que um banho não curasse. Aliás, até falei para o Valdeílson, nosso porteiro da tarde, que hoje nem precisaria tomar mais banho, pois já tinha tomado um de chuva. :)

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Vidinha que segue

Às vezes parece que não dá tempo para fazer tudo que está lista de pendências. E são tantas as pendências. Aquelas mais fáceis acabam sendo realizadas, mas quando se trata de algo mais trabalhoso ou chato, há uma força que impede o primeiro passo para terminar o que precisa ser feito. Pelo menos tem me parecido assim. Tenho algumas tarefas pendentes há semanas e cadê a (força de) vontade para levá-las até o fim?!

Ontem, voltando da universidade, percebi que ainda estava bastante claro. Lembrei-me que logo começa o horário de verão, um dos períodos do ano que mais gosto. Adoro a impressão de os dias parecerem mais longos.

Viagem à vista! Não existe nada que me deixe mais feliz, ainda mais quando há vários destinos previstos para os próximos meses. :)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Inspiração

Fico tão feliz quando descubro uma música nova (mesmo que seja dos anos 1960), um autor novo ou, como está ocorrendo neste momento, um blog novo! Estou apaixonada pelo vidaorganizada.org. É fantástico. Já peguei várias dicas e estou começando a colocá-las em prática. Hoje, por exemplo, comecei a fazer uma limpeza nas minhas revistas guardadas. Realmente, sobraram poucas.

Seguindo o post de hoje da Thais, resolvi fazer um balanço de setembro e pensar em uma listinha de pendências/atividades para outubro.

SETEMBRO
- Passei os primeiros sete dias cuidando da minha mãe. Apesar de a situação não ser das mais fáceis, eu fiquei muito feliz por poder fazer isso. Fiquei realmente surpresa com o andamento dos quase 20 dias que fiquei cozinhando, lavando, dando banho, organizando a casa, molhando as plantas etc. Nunca achei que fosse capaz de cuidar de alguém.
- Comemorei muito bem meu aniversário, o melhor dia do ano. 
- Consegui ler grande parte dos textos repassados pelos professores, mas ainda faltam muitos e muitos.
- Fui ao supercasamento da Sabrinha e do Zé Rodrigo.
- Visitei Inhotim, lindo museu a céu aberto em Minas Gerais. Na viagem ainda tive a oportunidade de conhecer várias pessoas legais.

OUTUBRO
- Levar os lixos recicláveis para o Light Recicla.
- Imprimir fotos do ano.
- Começar a planejar as compras de natal.
- Terminar leituras das prof. Gilda.
- Estudar mais o material do curso on-line sobre comunicação científica.
- Marcar os últimos médicos do ano.
- Buscar lentes de contato.

Acho que é isso. :)