quarta-feira, 27 de março de 2013

Sobre textos

Hoje li isso no blog da Rita: praticar exercícios deveria estar no mesmo nível de atividades como comer e dormir em termos de ‘compromisso’. Concordo.

Estou fazendo o curso Tratamento de texto e conteúdo editorial no Centro Cultural da Justiça Federal toda quarta-feira à noitinha. Para a aula de hoje, a professora nos passou uma tarefa: escrever um pequeno texto sobre o prazer do texto. Já comecei a rascunhar, mas ainda não cheguei à versão final.
Hoje é a terceira aula do curso. Vamos ver se a professora consegue chegar na hora. Meu lado certinho tende a não gostar de pessoas que sempre chegam atrasadas.

Texto é meu ganha-pão há quase duas décadas. Aliás, ao pensar sobre previdência privada, aposentadoria, planos para o futuro, dei-me conta de que comecei a trabalhar há pouco mais de 21 anos. Nesse período, fiquei sem trabalhar durante o primeiro ano de faculdade e outro que morei na Alemanha. Descontando esses dois anos, sobram 19! Pena que nem todos os empregos contaram para a aposentadoria. :-(

terça-feira, 26 de março de 2013

Um pouco de tudo que acontece por aqui

Na semana passada, consegui dar conta de tudo que tinha para fazer. Li todos os textos propostos pelos professores, fiz tarefas do alemão e cumpri o treino pesado da semana. Acabei de entrar na sétima!

Hoje ganhei do meu chefe um coelhinho da Lindt. Christian acaba de voltar da Alemanha e, além de biscoitos, trouxe esses chocolates em forma de coelho. Meu paladar para chocolate é bastante brasileiro e nem sempre gosto dos europeus, mas presente é presente e vou comer com gosto meu coelhinho.

Esta semana estou tendo apenas ideias gordas! Um perigo!
(Em outros dias, eu teria dado o coelhinho, por exemplo) 

Preciso comprar um livro de linguística. Primeiro, pensei em passar em uma livraria. Acabei deixando para depois, achei o preço on-line mais convidativo e adiei a compra por uns dias. Resultado: não achei mais na Saraiva, onde poderia comprar e pegar na loja, para não pagar frete, e fiquei com o tempo bem curto para comprar on-line – viajo na sexta.
Nas demais, prazos enormes ou preços de fretes a jato impensáveis. Depois de ligar para a Cultura, e descobrir que só havia o livro em SP, e para a Livraria do Maneco, em Caxias do Sul, pensando em mandar entregar em Vacaria, acabei comprando on-line mesmo. Negócio agora é torcer para que chegue a tempo de SP.
As lojas da Saraiva do Centro e da Zona Sul simplesmente não atendem ao telefone.
Seria bem mais fácil se o livro fosse digital.
Aliás, estou louca para comprar o livro da Mama Walsh, a matriarca da família criada pela Marian Keyes. Depois de retratar as filhas em vários livros, a escritora querida fez um sobre a mãe. E esse tem digital. Perigo é não dar mais atenção para o resto.

O outono chegou no prazo desta vez. O clima está mais ameno e já dá até para usar um casaquinho.

Viajo para o Rio Grande do Sul no fim de semana e fui avisada de que o Minuano já está marcando presença. Haja cachecol.

terça-feira, 19 de março de 2013

Mil atividades

O semestre finalmente começou no doutorado e logo já me vejo cercada de textos obrigatórios. Por enquanto, os temas abordados nas duas matérias que escolhi estão sendo interessantes e já consegui ler o material repassado pelos professores para a semana seguinte. Espero que seja assim durante o semestre, com tempo suficiente para dar conta de tudo, ou melhor, eu conseguindo me organizar para dar conta de tudo.

Dia desses, dando continuidade às experiências culinárias, fiz cookies integrais de aveia e mel. Ainda preciso acertar a temperatura ideal para não ficarem queimadinhos embaixo, mas o sabor ficou bem bom. O cookie mostrou-se um ótimo acompanhamento para um cafezinho. A receita veio do blog By Marina, mas eu o encontrei no Gordelícias. É bem simples e prática. Pretendo repetir em breve. Por enquanto, temos de consumir tudo que temos produzido.

Ando pensando em comprar um celular novo, mas quando olho os preços, começo a achar que o meu ainda está muito bom para ser trocado. Vamos ver até quando resisto aos impulsos consumistas. E, depois também, tem que pensar que estou no Rio e quando tiver um telefone novinho em folha vou andar cheia de medos. Talvez, por ora, seja melhor, manter o velhinho. 

Entrei na sexta semana do meu treino de corrida. Esta planilha é realmente muito boa. Quando você começa, pensa que não vai dar conta, mas o treino é tão bem feito, que você vai ganhando condicionamento sem notar. Já consigo correr intervalados de 10min sem sofrer. Esses dias eram três de 10min, com intervalos de apenas 3min. Para quem não corria nem 100m sem morrer no começo do ano foi um avanço e tanto.

A primeira semana "para valer" do semestre foi meio tumultuada e acabei tendo de mudar os dias dos treinos, mas no final deu certo. Nesta, creio que já conseguirei me organizar melhor. Na semana passada foi mais difícil porque resolvi começar um curso novo na quarta à noite e a gripe me pegou de jeito em outro dia.

Falando no curso novo, trata-se de um curso relacionado à produção editorial. Na turma, há vários jornalistas. Fazia muito tempo que não me sentia tão integrada. Não tinha ideia de que falar de texto me daria tanto prazer.

terça-feira, 12 de março de 2013

Pensieri

Ontem assisti o filme Up, que estava na minha lista havia anos. Que filme mais bonitinho! Que bela história de amor viveram Carl e Ellie. Fui dormir bem tarde, mas bem feliz.


A gripe resolveu acompanhar esta primeira semana de aulas. Fazer o quê? Também nem posso reclamar. Melhor uma gripe de vez em quando do que algum problema mais sério.

Minha primeira aula será apenas na sexta-feira. Amanhã, teremos aula inaugural, que eu nem sei se conseguirei ir. Mudei meu horário no trabalho, mas a aula foi marcada justamente fora dos horários previstos. Chato já na primeira semana pedir para trocar o horário recém-instaurado.

Hoje é dia do bibliotecário. Há alguns anos, desde que comecei a me envolver com a ciência da informação, tenho pensado seriamente em fazer uma nova graduação, em biblioteconomia.
Neste ano, tentei tornar esse sonho realidade, mas ainda não foi desta vez. Pedi reingresso na UFRJ, mas como apenas 390 dos meus créditos de comunicação social tinham a ver com o novo curso, minha inscrição não foi homologada. Eram necessários pelo menos 660. Fiquei triste na hora, mas logo passou. Acredito que as coisas sempre ocorrem da melhor forma. Se não era para começar agora, que seja no futuro, ou não.
Minha cabeça vive cheia de ideias. E já estou com uma nova. Se não der para ser biblioteconomia, já tenho outro plano prontinho.

Voltei às aulas de alemão. A primeira foi bem boa. Turma cheia. Vai ser mesmo uma revisão gramatical, bem o que eu estava querendo. Começamos revendo as declinações básicas do alemão, Akkusativ, Dativ, Genitiv. Vamos ver o que me espera na próxima quinta.

Os preparativos para nossa viagem seguem de vento em popa. Ontem reservamos o carro. Esses dias, escolhi o último hotel e comprei ingressos para o show da banda The Killers, que veremos em Lucca. Agora, faltam apenas os ingressos para uma ou duas galerias de Florença e fazer uma estimativa do que iremos gastar com comida.


 Mr. Brightside

Pensando na Itália, dia desses resolvi escrever para o consulado italiano para saber como está o andamento dos pedidos de cidadania italiana. Fiquei surpresa pela resposta rápida que recebi. Eu me inscrevi aqui no Rio em setembro de 2008. Descobri que estão chamando os processos de 2004. Terei mais alguns anos de espera. A boa notícia é que todos os inscritos serão chamados. A legislação andou mudando de uns tempos para cá. Espero que meu caso ainda seja analisado. Pelo visto, terei passado dos 40 quando me chamarem... Ainda assim, não dá para desanimar. Afinal, ninguém sabe o que o futuro nos reserva.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Paz

De repente, a gente redescobre umas músicas do século passado. Tão bom!


Deutsch - Liebe und Hass

Tenho uma relação de amor e ódio com o idioma alemão.

Gosto de ouvi-lo, de lê-lo e algumas vezes até de falá-lo, mas tenho momentos de total aversão. E isso normalmente quando as coisas ficam difíceis, quando as combinações de verbos, pronomes específicos e declinações mostram-se complicadas demais.

Depois de um ano afastada (apesar de o idioma fazer parte do meu dia a dia no trabalho), estou voltando hoje às intermináveis aulas de alemão. A expectativa é sempre grande. Será que os assuntos escolhidos serão interessantes, será que o professor realmente vai relembrar o que já esqueci, será que vou realmente reter na minha cabeça todas as informações novas?

Resposta ainda não há, mas espero de coração que seja uma boa experiência.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Como escapei da chuva, mesmo sem planejar

Ontem caiu a  maior chuva no Rio, mas como meu anjo da guarda trabalha muito bem eu nem vi.

Ontem foi um dia com horários diferentes do que estou acostumada. Como iria participar de uma feira de estudantes à tarde, inverti meu horário. De manhã, fui à academia, resolvi pequenas coisinhas em casa e fiz a declaração de imposto de renda. Depois de almoçar em casa, ainda passei no correio para devolver uma compra on-line que não gostei e caminhei até o trabalho.

Só fomos para a feira mais tarde. Era em um hotel antigo que foi reformado há pouco tempo, o Windsor, que fica bem na divisa entre o Leme e Copacabana. Eu já havia estado neste hotel anos atrás, quando vim ao Rio para a coletiva do Fernando Meirelles e do Ralf Fiennes. Naquela época, ainda chamava-se Le Méredien.

Como eu tinha médico no início da noite, saí da feira antes do final. Meu plano era pegar uma bike ali do lado do hotel e ir pedalando até a Santa Clara, mas o ponto da Bike Rio estava em manutenção. Eu tinha ainda que passar no banco e acabei indo a pé da Princesa Isabel até a Constante Ramos. O Google Maps me diz que são 2km, que podem ser percorridos em 25min. Exatamente! Demorei ainda mais 5min no banco. Resultado: cheguei 10min atrasada ao meu compromisso.

Foi só eu entrar no prédio, a chuva desabou! Eu ouvi que estava forte, mas não fiquei prestando muito atenção. Quando saí, sem sombrinha, liguei para o Claudio.Quem sabe ganhava uma carona, mas ele estava na academia. Só então soube que estava bem alagado em diferentes pontos da cidade. Como o que não tem remédio, remediado está, e havia uma cafeína bem embaixo do prédio onde eu estava, resolvi que ficaria ali, comendo tranquilamente, até a chuva parar.

A chuva não passou, mas ficou bem fraquinha. Peguei um táxi, sem me molhar muito, e segui para casa. Àquela hora, depois de quase uma hora depois da chuvona, a água já havia baixado.

Meu anjo da guarda deve ter ido dormir cansado. :)


segunda-feira, 4 de março de 2013

Uma semana para se despedir das férias

Última semaninha de férias e bate uma baita ansiedade, vontade de arrumar a casa para enfrentar os períodos de mais atividade, vontade de passear muito antes de ficar com a agenda cheia, vontade de ver todos os filmes possíveis antes de assumir outras responsabilidades.Não deveria ser assim, né? Bom, vou tentar relaxar.

***

Hoje, mais tarde, finalmente vou fazer a minha nova programação para a musculação. Na semana passada, o treinador me deu um bolo. Espero que hoje nada o impeça de ir à academia.
Hoje entro na quarta semana de treino de corridas. Está começando a ficar mais pesado, mas como o treino é progressivo, está dando para acompanhar o ritmo. 

***

A coluna da Eliane Brum de hoje fala sobre um assunto que tem andado muito em voga aqui em casa: alimentação. O título do texto da conterrânea é “Açúcar, sal e gordura: engrenagens da junk food”. Trata sobre o que a empresa alimentícia faz para nos viciar em porcarias. Fiquei contente porque ela cita o filme Muito Além do Peso, do qual sou fã.
Como Eliane escreve, temos a mania de nos sentirmos vítimas do "sistema" (seja ele qual for). Às vezes, até não temos saída. No caso da alimentação, porém, acho que nenhuma desculpa cola - pelo menos não entre as pessoas que convivo, que podem comprar o que quiserem. Escolhemos o que comer, ninguém nos obrigada a nada. 

***

Nesta nossa tentativa de fazer o máximo de nossas refeições em casa e de consumir o máximo de produtos caseiros, descobrimos várias receitas legais no site Panelinha e no Gordelícias. Este último foi dica da Érika, nossa amiga nutricionista. Existem tantas receitas bacanas e saudáveis.

sexta-feira, 1 de março de 2013

Eu amo meu iPad

Mesmo sabendo que nós devemos ter amor pelas pessoas e não pelas coisas, preciso confessar... eu amo meu iPad, desde o primeiro momento em que o tive em minhas mãos, em agosto de 2010. Mesmo tendo sido lançadas duas atualizações, eu continuo gostando muito do meu e nem penso em comprar outro.

O que me inspirou a comprar o iPad foi o fato de ter que ler muitos e muitos PDFs em meus estudos de mestrado. Achei que facilitaria muito e não precisaria ficar fazendo impressões. De fato, ele foi de grande ajuda no processo de confecção da minha dissertação. Só que o mestrado acabou e durante alguns meses, o iPad ficou esquecido, especialmente depois que comprei o iPhone.

Quando o doutorado começou, em 2012, ele voltou a ganhar alguma atenção. Nos últimos meses, porém, com a assinatura do Netflix e depois de ter baixado o aplicativo Kindle, meu iPad ganhou vida nova. É ótimo para ver filmes e parece ter nascido para exibir livros. Foi como reavivar uma paixão antiga.

Por causa disso, a tentação de comprar muitos livros na Amazon.com.br tem sido bem grande. Os preços são realmente convidativos e todas as semanas há uma promoção interessante.

A boa notícia para quem não tem algum tipo de tablete é que o aplicativo pode ser baixado também no PC. Acabaram-se as desculpas, é hora de começar a ler!