quinta-feira, 30 de julho de 2015

Férias dos outros

Esta semana foi bem cheia de atividades no trabalho. Normalmente meu dia a dia no trabalho é bem tranquilo. Somente tem algumas emoções quanto o humor da chefe está meio alterado. Como ela passa grande parte do tempo longe do escritório, os dias costumam correr de forma bem tranquila.

Nas últimas semanas, a agitação foi por conta das férias de diversas colegas. Eu assumi a função de uma e ajudei a atender as ocupações de outra. Como estamos no meio de uma seleção de bolsas, tive de fazer muitas coisas, mas foi ótimo. Acho que prefiro dias cheios a dias modorrentos. Claro que sempre depende das atribuições. Neste caso, eram atividades interessantes.

Na semana que vem todas voltam das férias e tudo retorna ao ritmo normal.

Neste fim de semana em casa estou animada com a perspectiva de adiantar algumas páginas da minha tese. Eu acho que ainda reescreverei tudo, mas é animador ver o número de páginas aumentar pouco a pouco.

Compramos ingressos para o show de Belle and Sebastian. Agora preciso treinar para que o show fique ainda mais interessante. Antes disso, vamos a uma noite do Rock in Rio. Estou bem animada, pois será minha primeira experiência no Rock in Rio. :)

O clima friozinho no Rio convida a ficar em casa.

Conversar com quem sempre olha o mundo pelo lado negativo é bem cansativo.

Estou tão cheia de planos para depois de março de 2016, que nem sei como vou encaixá-los todos nos meses que restam...

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Por ora o melhor é ficar em casa

Estou em Brasília, pensando que deveria estar em casa mergulhada nos meus estudos. Eu trouxe o computador e um livro para poder fazer algo por aqui, mas a verdade é que o dia de trabalho foi exaustivo e agora o que mais quero é ficar ouvindo músicas no YouTube. Ainda vou tentar fazer uns dois parágrafos, mas minha cabeça está já desligando.

Eu gosto muito de viajar. Uma noite em um hotel me traz muitas alegrias. Eu simplesmente gosto. Só que nas últimas semanas precisei ficar tanto tempo fora de casa... Isto tem me deixado meio preocupada, pois tenho apenas alguns poucos meses para terminar minha tese que ainda é um bebezinho. Ela ainda precisa crescer muito para se tornar madura para o dia da defesa.



quinta-feira, 9 de julho de 2015

De táxi

Hoje de manhã precisei ir aplicar uma prova de alemão no CEFET que fica lá perto do Maracanã. Resolvi ir de táxi, pois não me lembrava direito se o metrô chegava lá pertinho. Tão logo entrei no carro e o taxista me disse algo, pensei: "Engraçado, já conheço esta voz". Como ultimamente sempre pego táxi nesse ponto, não seria nada exótico pegar o mesmo carro duas vezes. E foi isso mesmo.

Logo depois de atender rapidamente a uma ligação, ele soltou um: "Não é fácil para um velho viver sozinho." Todas as histórias que ele havia me contado meses atrás, voltaram. A esposa morreu faz poucos anos e os filhos moram longe, um em Pernambuco e outra, em Londres. Eu me lembrava que ele sempre ia comemorar o aniversário em Recife no mês de janeiro e que o irmão é médico.

O que me impressiona na história deste homem é a falta que ele sempre da esposa. Argumentei que há muitas pessoas que passam pela vida sem conhecer ninguém interessante e que ele teve a sorte de encontrar alguém e ser feliz por muitos anos. "Quem nunca encontrou não sente esta falta porque nunca teve."

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Por aí e por aqui

Mais um semestre chega ao fim. Não vejo a tese se desenvolver. Neste segundo semestre minha vida será a tese. Ou é isso ou não precisarei entrar em 2016.

Fui a Brasília a trabalho. Depois emendei com uma viagem a São Paulo, que também alcançou Santana do Parnaíba e Campinas.

No sábado à tarde, enquanto o Claudio fazia um curso de pão, fui ao Museu da Língua Portuguesa. Não sei se foi pela minha ligação com a língua, que acaba sendo meu ganha-pão, mas fiquei emocionada várias vezes. É um museu para ser apreciado com calma e tempo. Fiquei muito feliz por tê-lo conhecido. Era um sonho antigo.

Como mulher, fiquei ofendida com este adesivo que criaram da Dilma para colar no tanque de combustível. Achei uma falta de respeito.

Dia de faxina não é meu dia preferido, mas é tão bom chegar em casa e ver tudo limpinho.

Hoje fiz exame de sangue. Espero que os resultados não sejam assustadores.

Ah, ontem fiz uma aula experimental de pilates. Gostei muito. Estou sentindo os músculos do abdômen até agora. Acho que será bom. Sigo com as caminhadas na academia. Vamos ver se isso traz o retorno que tanto desejo.

Caminhões de comida me deixam feliz. Hoje comi um crepe da Creperia Cliché.