quarta-feira, 22 de maio de 2019

Mês de leituras

Depois de um período longo de abstinência, neste mês tirei o atraso: estou terminando de ler um terceiro livro. Acho que desde janeiro, minha performance de leitura não tinha sido tão boa. E foram três boas escolhas – no âmbito das histórias românticas de que tanto gosto.

Comecei com o mais recente de Mhairi McFarlane, Sowas kann auch nur mir passieren, que eu estava querendo ler desde o final do ano, mas ainda não tinha na biblioteca e eu estava muito pão-dura para comprar. No dia em que levei a mãe ao aeroporto e tive que esperar mais de duas horas pelo meu trem de volta, resolvi me dar este presente. Georgina e Lucas foram meus companheiros nas primeiras semanas do mês.

Numa viagem à Alemanha no passado comprei um livro de Laura Dave, Ein wunderbares Jahr. Considero este tipo de livro uma espécie de fast-food da leitura. Preenche um vazio, mas nem sempre é muito nutritivo. Bom, sinceramente, lembro-me muito pouco dessa leitura, mas ainda assim ao ver a capa de Hello Sunshine, inacreditavelmente lembrei já ter lido algo da autora. Resolvi escolhê-lo então na biblioteca. Uma coisa que acho curiosa nos livros dessas autoras de comédias românticas é que ela usam roteiros parecidos em suas histórias. Em Hello Sunshine, a protagonista também retorna para a cidade natal e tem que resolver questões antigas relacionadas à família. Não foi de todo ruim, mas eu poderia ter escolhido algo melhor.

Agora estou quase chegando ao fim de Der Sommer, in dem es zu schneien begann, de Lucy Clarke. Este é o primeiro que leio dela. Eu li o primeiro capítulo e pensei: xi, tem morte. Deixei de lado. Li Hello Sunshine e resolvi voltar para este, pois ainda tinha uns 10 dias até o prazo de entrega da biblioteca. Pois vou confessar: tenho lido todas as noites até depois da uma, parando mesmo só porque meu corpo está cansado demais. Este eu nem colocaria tanto no balaio das comédias românticas. É sobre amor, mas vai um pouco além. Agora estou na torcida por Saul e Eva, mas sem saber como as coisas vão se desenrolar.

Eu até tento intercalar livros mais sérios com estes, mas em alemão às vezes me sinto desmotivada a ler um livro mais complicado. Por ora está bom estar acompanhada dos meus livros de mulherzinha, que me fazem, de alguma forma, retomar a fé no amor e desejar encontrar, , quem sabe um dia, um companheiro pra vida.

Nenhum comentário:

Surpresas nem sempre são boas...

A vida nos surpreende de um jeito às vezes.  Meu 2022 estava indo bem, já tinha feito algumas viagens, tinha outras planejadas, iria receber...