Postagens

Setembro

De repente, agosto passou voando e as pessoas começaram a implicar com setembro. Peraí, gente, setembro é o meu mês preferido. Nada disso de ficar falando mal.

Aliás, setembro está passando tão rápido, que nem parece que na semana que vem já será meu aniversário.

Nos últimos dois anos, no dia do meu aniversário eu estava me sentindo miserável!

Em 2016, eu celebrei meus 40 anos e fiz uma festa com praticamente todas as pessoas importantes da minha vida. Nossa, mas eu estava me sentindo tão mal, tão triste, mas sem coragem de expor. Vivi aquele fim de semana no piloto automático. Uma pena.

No ano passado, foi menos pior, mas terminei o dia sozinha, chorando, me sentindo tão triste.

Neste ano, mesmo que passe sozinha, porque ainda não conheço praticamente ninguém aqui em Heidelberg e ninguém sabe do meu aniversário, tenho certeza de que me sentirei mais feliz do que nos últimos dois anos.

Em 2018, a vida tem sido tão generosa comigo, que não tenho motivos concretos para me sentir triste.…

Telc C1 Hochschule

Acabei de saber que passei no teste de alemao que fiz em julho. Nem estou acreditando. Juro que nao esperava uma resposta positiva. Ainda nao sei exatamente como foram os resultados individuais de cada parte da prova, mas o geral foi positivo e isso é o que importa, como disse um colega meu. :)

Esta notícia chegou no momento certo, para dar um gás nesta semana cheia de atividades aqui no trabalho. Bom, eu vou continuar estudando alemao, uma vez por semana, porque ainda nao me sinto segura. Sei que parece exagero, mas dominar uma língua nao é assim uma coisa fácil.

Só sei que agora estou feliz e vou me permitir sentir um pouco esta felicidade.

Ô, preguiça!

Eu gostaria de ser menos preguiçosa e registrar aqui mais sobre meus dias em Heidelberg. É bom ler os posts antigos e quanto menos escrevo, menos tenho para ler depois. Eu sou daquelas que escrevia diários e mais diários na adolescência e está em mim esta vontade de registrar. Problema é que ando tão preguiçosa.

Acho que desacostumei a escrever à mão e não é todo dia que tenho vontade de ligar o computador. Cada vez menos agora que não tenho necessariamente obrigação. Ainda faço um ou outro frila e ajudo uma ou outra amiga com textos, mas cada vez mais raro.

Bom, mas de qualquer forma, gostaria de registrar que estou me sentindo muito bem aqui em Heidelberg. Agora já tenho meu apartamento, do qual gosto muito. Ainda estou me familiarizando com a cidade. Apesar de não ser muito grande, há muito para se ver. Ainda não fiz nem a ficha na biblioteca! Uma negação, mas aos poucos vou dando conta de tudo. Negócio é que agora não tenho pressa. Não estou de passagem, não estou de férias, esta …

Nova cidade, novo endereço, novo emprego, novo tudo

Faz 11 dias que mudei de cidade definitivamente. Deixei minha querida Münster, no noroeste da Alemanha, para vir para a região mais ao sul. Confesso que achei que sofreria horrores, pois amei morar em Münster, devo dizer que não está sendo bem assim. Heidelberg também é uma cidade linda. Desde que cheguei, os dias têm sido ensolarados. A cidade também tem um clima bacana, tem um rio na região central, gente que faz piquenique, pessoas simpáticas.

No primeiro fim de semana teve fogos, foi quase como uma celebração de meu novo ano, meu recomeço. Na segunda-feira seguinte comecei em meu emprego novo. Quando estou lá, me sinto tão feliz e agradecida. Nem sinto vontade de voltar para o meu lar provisório. Sério, fazia tempo que não tinha esta vontade de trabalhar, este bem-estar no trabalho. Não posso negar que a vida é realmente cheia de boas surpresas. Estou me sentindo muito feliz.

Curiosamente, há exatos dois anos eu vivia a pior fase de minha história pessoal recente. O pior ainda est…

Agradecida, pois a vida é generosa comigo

Imagem
Apesar de algumas coisas ruins que me aconteceram há um tempo, eu realmente não posso reclamar. Mesmo esses acontecimentos, que me fizeram sofrer para caramba, consigo ver agora, foram para me colocar em uma situação ainda melhor.

Amanhã começarei em meu emprego novo. Depois de anos de preparação, amanhã estrearei como bibliotecária. Não consigo nem descrever minha felicidade. Estou aqui, assim de bobeira, aí me lembro que começarei a trabalhar em uma biblioteca e não consigo mais tirar o sorriso do meu rosto. Sou boba mesma. :)

Depois de seis meses de "recuperação" em Münster, cidade bonita e querida, mudei-me na semana passada para Heidelberg, outra bela cidade alemã. Münster foi uma supresa boa. Escolhi tão por acaso, mas foi o melhor lugar para voltar a ser feliz. Achei a cidade linda já de dentro do táxi, enquanto ia pegar as chaves do apartamento onde iria morar. E olha que era janeiro, frio e chuvoso.

Foi tão fácil me acostumar a morar lá. Meu apartamento era longe d…

Virando a página

Existem alguns momentos em nossas vidas que parecem uma finalização de um capítulo.

Hoje fiz a prova de alemão. Não sei se vou passar, mas dou este ciclo como encerrado. Foram seis meses de curso de alemão, focados em falar melhor, mas também a passar nesta prova. Senti uma liberdade ao sair da prova oral. Claro que eu sou deste tipo de pessoa que acha que foi péssima e fica repassando cada tragédia, mas desta vez, confesso, joguei tudo para o alto.

Por mais que eu me alegre de passar nesta prova, isso no final não é tão importante. Eu ganhei uma vaga de emprego, independentemente do resultado desta prova. Sim, eu sou uma pessoa com muitos motivos para ser feliz - mesmo que às vezes complique um pouco a vidinha tranquila.

"If you leave, don't leave now"

Há dias em que convivo apenas com pessoas que são, em média, 20 anos mais novas do que eu. Nem sempre é muito cômodo. Com algumas pessoas, tenho mais paciência, mas, por exemplo, agora tenho uma colega que tem 18 anos. Eu vejo que minha paciência com ela é mais limitada. Ela poderia ser minha filha. Talvez aí esteja uma explicação. :)
Eu nunca tive vontade de ter uma idade que não a minha. Há quem fale que gostaria de voltar no passado. Sei lá, talvez eu gostasse muito da minha vida aos 30, mas até ter vontade de voltar até lá... Não sei. Acho que prefiro estar onde estou, fazendo o que estou fazendo. 
Eu vivi muito o final dos anos 1980 e início dos 1990. Nesse período passei minha adolescência. E devo dizer que, mesmo com todas as limitações de uma cidade do interior, aproveitei o máximo que pude. 
* o título do post é uma música que faz parte da trilha de Pretty in Pink, filminho querido dos anos 1980 e que fez parte da minha vida.