quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Feliz 2009

2008 foi um ano bem produtivo e proveitoso para mim. Desejo que 2009 também seja, não só para mim, mas para todos. Boa sorte para todos os amigos e muita força para conseguir tudo que desejam. Beijos a todos.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Rio de Janeiro

É tão engraçado. Você fica três semanas fora e várias mudanças ocorrem na vizinhança. Quando você volta, demora para se sentir em casa de novo.

Depois de três meses e pouco de reformas, reabriu o supermercado Zona Sul aqui da Rua Bambina. Ficou lindo, mas ainda não parece que é o Zona Sul ali da esquina.

Também reinaugurou o Cervantes. Estou louca para ir, apesar dos comentários de que ficou muito apertadinho. Bom, alguma vantagem eu tenho que ter com esse meu tamanho...

Saí de casa para o trabalho hoje com um tempo nublado, mas agora o sol voltou. Espero que fique até o ano que vem.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Feliz Natal

De volta ao Rio, sem ter mandando e-mails de feliz natal para ninguém, aqui vai um coletivo Feliz Natal, por ora. Beijos.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Na rodoviaria

Daqui a pouco pego o onibus para Santiago. Foram duas boas semanas em Mendoza.

Acordei cedo, apesar de meu onibus ser apenas as 10h30min. Queria dar tchau para os meninos - toda vez que falava meninos para meu professor, ele sempre fazia uma piadinha, pois um dos meninos, Winfred, tem uns 60 e poucos... Tomei café bem descansada, como diria minha mae, e tomei um taxi para a rodoviaria. O taxista ja estava nervozinho a esta hora da manha. Nunca vi ninguem buzinar tanto. E ele dirigiu como um tipico mendocino: como um louco.

Nada melhor do que esperar podendo usar a internet. Essa é uma das coisas boas deste século.

Acho que fiquei o tempo exato em Mendoza. Mais, seria exagero. Menos, seria insuficiente. Bom, ja esta na hora de ir voltando para casa. O dia em Santiago vai ser bom para ver a exposicao da Frida, que esta no Palacio de la Moneda, e para fazer umas ultimas poucas comprinhas, pois nada mais cabe na mala.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Mendoza - último fim de semana

* Os dias de viagem estao chegando ao fim, o que é bom e ruim ao mesmo tempo. Fim de viagem sempre me deixa querendo ficar um pouco mais, mas dessa vez, mais do que em qualquer outra, tenho um bom motivo para voltar para casa.

* Está tocando Roupa Nova aqui no cyber café em que estou, mas em espanhol e acho, nao tenho muita certeza mesmo, que é o Alexandre Pires quem está interpretando a música.

* Somente hoje caiu a ficha de que estamos a poucos dias do Natal. Estava tao mergulhada nas minhas aulas e nos passeios pela cidade que tinha ate esquecido. Com o fim da viagem, fui comprar alguns regalitos para a família e alguns poucos amigos e me deparei com dezenas de pessoas nas ruas, entrando e saindo de lojas, com muitas sacolas. Bom, cá estou eu com algumas também.

* Depois de quase trës semanas sem comprar quase nada para mim, resolvi também comprar alguns presentinhos para mim: mais um livro do Julio Cortazar, agora que posso realmente ler em espanhol e um do uruguaio Mario Benedetti. Espero le-los em janeiro, assim como outro do Cortazar que comprei em Buenos Aires e o Confesso que vivi, do Neruda, que minha mae comprou para mim no Chile.

* Devo ter cara de argentina porque sao tantas as pessoas que vêm me pedir informacao sobre que onibus pegar, que rua fica nao sei onde...

* Claudio foi ao show da Julieta Venegas no Canecao. Queria tanto ter ido. Pelo menos vamos escutar juntos o disco que comprei aqui quando eu voltar para casa.

* Fui ao terminal de onibus comprar minha passagem de volta para Santiago. Que bagunca!!!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Espanhol

Amanha, terei minha última aula de espanhol. Posso dizer, sem medo, que aprendi muito. Agora, será uma questao de tempo assimilar tudo, pois realmente foi muita coisa, praticamente todos os tempos do pretérito, o presente, o presente do subjuntivo, adjetivos, advérbios... Ufa!

Dirigindo por Mendoza

Depois de praticamente nove meses sem dirigir, hoje voltei a praticar. Afinal, a carteira - já renovada duas vezes - tem de servir para alguma coisa. Antes de ir pegar o carro, enquanto tomava café, conversava com o Wimfred, alemao que está morando na mesma casa que eu, que os motoristas de Mendoza sao loucos, nao respeitam sinal, avancam sobre os pedestres e por aí vai. Ele queria saber se eu havia dirigido na Alemanha e falou que o melhor lugar para se estar ao volante é nos Estados Unidos. Quando a esposa dele vier em fevereiro, ele disse que vai andar de onibus e de táxi. Nao tem coragem de se arriscar de carro pelas ruas da cidade.

Bom, vivendo no Rio e nao sendo alema, minha maneira de ver o transito de Mendoza é um pouco diferente da dele - afinal, alemaes têm um carinho especial por sinais de trânsito. Realmente, dirigir em Mendoza pode ser uma experiência estressante, mas felizmente correu tudo bem. Ainda mais que por aqui dirigi muito pouco. Andei mais pelo interior, onde as estradas me lembraram as de Esmeralda. Para chegar a Catena Zapata, é preciso andar por uma estrada de chao. Digamos que do total de horas que já dirigi, mais de 50% foi em estrada de chao.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Mendoza - pensamento ecológico

- Diferente de Santiago, que quase nao tinha lixeiras nas ruas, mas era bem limpa, Mendoza é meio suja. As pessoas jogam lixo na rua sem dó nem piedade. Também lavam calcadas com mangueira e nao separam o lixo. É meio triste, mas é verdade.

- Outra coisa impressionante é a quantidade de pessoas que fumam.

- As ruas são muito arborizadas e todas têm canais.

- Sempre acho engraçado ver criancas pequenas falando outros idiomas que nao o português. :)

Domingo de sol

Perto desta casa em que estou agora tem um parque enorme, Parque General San Martin. Hoje, estava um dia lindo. Peguei minha canga e me mandei para lá, me deitei debaixo de uma árvore e aproveitei para repassar os verbos no passado. Foi ótimo. Até peguei uma corzinha. Aqui, como no Rio, sao fechadas algumas pistas para que as pessoas possam caminhar e andar de bicicleta em paz.

Carros de Mendoza

Algo chamou minha atencao desde as primeiras horas aqui em Mendoza - ainda mais depois de uns dias em Santiago. Existem muitos carros velhos. Tinha esquecido que na Argentina isso é meio comum. Aqui estao alguns exemplos.









sábado, 13 de dezembro de 2008

Mendoza - mais um pouquinho

Aprendi muitas coisas novas nesta semana. Foi bem produtiva. Acabei meu trabalho da pós, finalmente. Mudei de casa. Tomei dois vinhos diferentes. Despedi-me de um casal de alemaes muito legais, que seguem viajando pela Alemanha. Ganhei uma edicao da Der Spiegel de outro alemao. Almocei num vegetariano. Gastei muitos pesos em cybercafes. Conversei com um casal de noruegueses sobre o A-Ha!

Ainda falta comer num restaurante muito bom. Beber mais algumas tacas de vinhos. Provar o famoso fernet. Comer mais empanadas e medialunas...

Surpresa boa

Ao abrir minha caixa de e-mails hoje, tive uma surpresa muito boa.

Havia e-mails do Lissandro, da Arminda e do Roberto Carlos, ex-colegas de faculdade combinando um encontro, que vai ser, claro, em Caxias do Sul.

Nao poderei ir, mas só o fato de "reencontrá-los" já me deixou bem feliz.

O Lissandro, eu encontrei um dia por acaso caminhando pelo Leblon. Fazia uns 10 anos que nao nos viámos e fazia uns poucos meses que eu estava no Rio. Foi uma surpresa alguem me chamar na rua e ser ele.

Que pena que nao estarei lá...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Mendoza - Constatações

- Não existem os pronomes tu (tú) e vós (vosotros) na Argentina. Existe o vos, que vale pelo tu.
- Minhas mãos parecem que estão sempre sujas aqui, por mais que as lave.
- Todas as ruas têm pequenos canais.
- Também faz frio no verão aqui.
- O café é terrível!
- Todos vêm acompanhados por uma água mineral, como deve ser.

Mendoza - Paranóia


Esta é a minha rua aqui em Mendoza.

Estou morando com uma senhora mendocina de 58 anos, que tem quatro filhos, mas mora sozinha. Ela é legal, mas meio paranóica. Todos os dias, enquanto tomo café, ela me avisa sobre os enormes perigos de Mendoza. Fala que existem ladrões em todos os lugares.

Sempre me recomenda a olhar para os dois lados antes de sair de casa. E cometeu o absurdo de marca o lado que deve ficar para cima na hora de abrir a porta, pois assim entro mais rápido em casa e não corro o risco de ser pega pelos bandidos.

A casa onde estou tem grades, aquelas correntes elétricas em todos os muros e em todas as janelas. Elas sempre ficam ligadas, por isso, ela me ensinou como desligar caso eu queira ir até o quintal. Nem me arrisquei, né? Vai que salta um larápio do muro?

Bom, já estou meio que de saco cheio dessa paranóia dela. A área onde fica a casa é longe do centro, mas é residencial, só de casas de classe média. Não é o bairro mais elegante da cidade, mas, convenhamos, não tem nada de errado.

Falei com meu professor sobre o assunto e ele falou que essa paranóia existe em toda a cidade. Talvez seja melhor não arriscar, mas pintar a chave achei demais...

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Mendoza - Espanhol

Hoje foi meu segundo dia de aulas de espanhol. Aprendi a falar no passado - ou, pelo menos, na teoria. Ontem, quando sai para caminhar com a Trissali, a grega, falamos somente no presente e combinamos que entenderíamos como se fosse passado. Agora, já podemos falar sobre o passado. :) Só que tenho que estudar muito hoje à noite, pois é muita informação para minha cabeça.

Passamos a tarde jogando. Nos ofereceram um almoço de boas-vindas. Serviram empanadas, diferentes das de Buenos Aires. Tomara que eles não leiam, mas preferi as de lá. As daqui parece que têm vinagre no recheio. Estranho. Depois das empanadas, fizemos algumas brincadeiras. Foi bem divertido.

Engraçado é que tem três alemães que não entendem nada de espanhol. Bom, deu para praticar o alemão. Meu grupo tinha o Natan, que é um norte-americano, e dois alemães, a Doris e o Wilfred. O outro era formado pela grega Trissali, o Julio, que é brasileiro e só fala portunhol, e o marido da Doris, que acho que é algo como Jorge.

Os professores são mais jovens do que todos os alunos. Os alemães são aposentados passeando pela América do Sul. A grega é casada com um grego que veio morar aqui e trabalhar em uma vinícola, o norte-americano é professor de matemática em uma escola americana em Buenos Aires e o brasileiro é veterinário, que quer fazer mestrado e precisa de uma segunda língua.

Foi bem engraçado e divertido. Só que não consegui trabalhar, como queria. E em casa não tenho internet... Estou em um 'locutório' e daqui a pouco pego o lento 'trole' para casa. Pelo menos posso baixar meus e-mails para fazer um pouco de coisas no computador em casa.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Mendoza - mais alguns comentarios

Hoje foi meu primeiro dia efetivamente na cidade. Levantei-me bem cedo para chegar na escola de espanhol as oito, quando teria um teste de nivelamento. Encontrei com dois alemaes, um casal de senhores que, aposentados, vao passar tres meses viajando pela Argentina. Eles nao falam nada de espanhol e querem aprender um pouco. Tiveram um pequeno acidente com o carro e enquanto esperam o conserto, resolveram assistir a algumas aulas.

Nao ficamos na mesma turma, pois, apesar de meu espanhol quase nao existir, por razoes brasileiras, consigo me comunicar melhor que dois alemaes. Na minha turma só tem eu e mais uma garota, da Grécia. Foi bem boa a primeira aula, com o professor Javier. Coisas fáceis. Amanha, ele disse que será muito mais difícil e que na sexta-feira estaremos falando tudo. Só quero ver...

Depois da aula, fui almocar com a colega grega, que tem um nome impronunciável. Conversamos em espanhol, usando apenas umas poucas palavras em ingles. Depois, ela seguiu para casa e eu resolvi dar uma volta no centro. Descobri que as lojas ficam fechadas das 13h as 16h30min. Por isso, estou aqui na biblioteca gastando um pouco o tempo, antes de sair para comprar um adaptador. As lojas ficam abertas ate as 19h30min.

Mendoza nao é uma cidade muito bonita, mas com ficarei por duas semanas, estou tentando olhar de um modo positivo. Já me informei como ir até as vinícolas que pretendo visitar. Só preciso do meu computador para olhar os sites e mandar e-mails para combinar as visitas. E, para isso, preciso ir atrás do adaptador, que é o que farei agora, que já sao quase cinco horas.

Hasta luego!

Mendoza - primeiro dia

Cheguei a Mendoza há menos de 24 horas.

Atravessar a Cordilheira dos Antes de onibus foi uma ótima experiencia. Adorei ver o gelo que cobre as pontas das montanhas de perto. De início, achei que nem era gelo, mas depois vi que era uma camada grossa. Na fronteira, demora-se quase uma hora para mostrar os papéis de todos os passageiros, carimbar passaportes e seguir adiante. Já na Argentina, depois que comecamos a descer, dormi um pouco, mas acordei a tempo de ver as montanhas avermelhadas da regiao de Mendoza.

Chegando a Mendoza, me deparei com uma rodoviária nada atraente e um calor dos infernos. Nao que o terminal de onibus de Santiago tenha sido melhor. A venda de passagens ainda é feita a mao. Bom, estava morrendo de fome, mas antes precisava trocar algum dinheiro. Nao existem caixas automáticos e o cambio é feito nas próprias companhias de onibus que levam pessoas a Santigo. Resultado: uma exploracao. Bom, tinha que trocar algum, algo como um por um quando aqui no centro se encontra 1 real = 1,30 pesos.

Fui comer algo e acho que fui enganada mais uma vez, mas matei minha fome. Também se aprende a ser menos trouxa assim - eu acho.

Peguei um remis e fui até a casa onde vou ´morar´durante os próximos 14 dias. A senhora que me recebeu é simpática, o quarto é de bom tamanho, tem um ventilador barulhento e é quente. Acho que fazia tempo que nao passava tanto calor e nao precisava sair de casa sem um casaco. Dei uma volta pelos arredores. A senhora me assustou bastante, porque a seguranca nao é mais essas coisas, ela disse. Bom, digamos que, infelizmente, estou acostumada com a inseguranca.

Nos arredores, existe um carrefour e algumas lojinhas, que ontem estavam fechadas, porque era dia de Nossa Senhora da Conceicao. Nao pude avisar ao Claudio que eu tinha chegado bem, mas liguei para a minha mae e ela deve ter avisado. Vi onde pegar o Trole Parque, um onibus eletrico, muito lento, que me trouxe hoje até o centro da cidade. Depois de muito caminhar e de nao encontrar nada aberto, voltei para casa, vi tres pedacos de filmes na teve a cabo e dormi.

Chile - última impressoes

Observei mais algumas coisinhas em Santiago e antes que eu me esqueca:

- os rios correm muito rápido;
- os restaurantes, muitos deles, nao abrem aos domingos à noite;
- os supermercados parecem ter menos coisas atraentes que os brasileiros ' mas isto por ser uma questao cultural, o que nos interessa pode nao ser o mesmo que interessa aos chilenos;
- nao sei se já escrevi antes, mas existem muitas lojas de departamentos, no centro, algumas tem varios enderecos, divididos por departamento;
- nao há muitas lixeiras nas ruas, apesar disso, alguns bairros sao bem limpos - mais a regiao chique de Vitacura e Las Condes, da Providencia para o centro é mais sujinho;
- a Bodega Concha y Toro é mesmo um centro de entretenimento. Sobre os vinhos pouco se aprende, mas se passa uma hora bem agradável, numa espécie de show.

Bom, acho que foram essas as impressoes que me causou Santiago. Ainda passarei mais uns dias por lá em breve, quando voltar de Mendoza, antes de seguir para casa, no Rio.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Chile - mais impressões

Mais algumas impressões da cidade:

- Nunca chove nesta época do ano. Por isso, todos os jardins são irrigados - automaticamente, quase tomamos um banho hoje...

- Há muitas igrejas em todas as partes da cidade;

- O metrô é limpo e a tarifa é mais barata que a do Rio, de 380 pesos a 420 pesos, no horário de pico é mais caro;

- Para andar de ônibus é preciso comprar um cartão chamado Bip!. Só descobrimos isso depois de andar de graça durante duas vezes. Na primeira, achamos que o motorista não nos cobrou por que havia muita gente entrando; na segunda, entendemos que ele não cobra a viagem, só se paga com tarjeta;

- A cordilheira fica encoberta na maior parte do dia...

- Não cruzamos com muitos brasileiros por aqui;

- No metrô aqui perto de "casa", uma associação arrecada ração para cachorro. Deduzi que é para os cachorros de rua;

- Falando neles, só se encontram no centro e nos bairros mais pobres. Em Las Condes e Vitacura, onde andamos hoje, não existem, ou, pelo menos, são bem raros;

- Os restaurantes aqui são bem mais caros do que em Buenos Aires, mas comparativamente são mais baratos que no Rio;

- Fiquei decepcionada com o pisco sour... Provei hoje e não achei tão bom quanto esperava... Vou voltar aos vinhos...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Chile - programação

Hoje é nossa quarta noite em Santiago e já deu para fazer um bocado de coisas. No segundo dia, caminhamos feito loucos no Cerro San Cristóbal, um morro com uma santa no topo. Fomos de táxi até a santa, mas depois resolvemos voltar a pé... Bom, por alto, devem ter sido umas duas horas de caminhada, com paradas para fotos, para apreciar a vista e ver dezenas de adolescentes se divertindo numa piscina pública que tem no tal cerro.

Depois, de volta à civilização ainda percorremos mais alguns quilômetros até Vitacura, onde jantamos no ótimo Porto Fuy. Adoramos os pratos e o clima do restaurante. Falaremos mais dele no Le Vin au Blog daqui a alguns dias. Ontem, fomos para a região das vinícolas e para a costa oeste do continente. Passamos, de verdade, por Valparaíso, e paramos um pouco em Viña del Mar, mas estava muito desconfortável. Saímos preparados para ir à praia, mas quando chegamos lá estava um frio horrível. Não foi um passeio tão bom, mas a cidade de Viña del Mar é bonitinha e arrumada.

Ah, esqueci, no segundo dia também fomos até a Almaviva, vinícola toda produzida que tem aqui. Pertence à Concha y Toro, mas não fica junto com a megabodega do Chile. Foi bem agradável o passeio, gastamos o dinheiro do nosso porquinho em um Almaviva, que será degustado lá pelo fim de 2009.

Ontem, na nossa microviagem, fomos a mais duas vinícolas: Casa Marin e Matetic. Fomos bem atendidos e degustamos alguns vinhos muito bons. Mais umas comprinhas, que o Claudio vai ter que dar um jeito de fazer caber na mala...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Chile

Claudio e eu chegamos a Santiago hoje de tarde, depois de seis horas de viagem.

Como anoitece bem mais tarde do que no Rio, por volta das 21h, conseguimos aproveitar bem este primeiro dia, descobrindo o centro da cidade.

Minhas primeiras observações sobre a capital do Chile:

- Tem dezenas de cachorros sem dono andando pelas ruas;
- Existem belos prédios antigos, do final do século XIX;
- Come-se muito cachorro-quente no centro da cidade;
- O sistema de transporte parece ser eficiente;
- Aqui não se come empanadas como em Buenos Aires;
- Os chilenos são atenciosos;
- Apesar do número de vinícolas nos arredores da cidade, pelo menos no centro, não existem muitas lojas de vinho e nos supermercados os bons vinhos são raros.

Por enquanto, é isso. Vamos sair para jantar agora. Acho que será na Providencia.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Enchente em Santa Catarina

Morei vários anos em Florianópolis e tenho muitos amigos queridos lá. Olhando as imagens da enchente no site do Diário, dá até um aperto no coração. O número de vítimas só aumenta, a chuva não pára. 
Felizmente, grande parte dos meus amigos está protegida, não mora em áreas de risco. Já consegui falar com nove amigos e apenas um está tendo de enfrentar a enchente. Ele mora em Itajaí e trabalha na assessoria de comunicação. Está desde ontem trabalhando direto, pois a região foi uma das mais atingidas. Força aí, Weiss.  

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Bondinhos


Pão de Açúcar, com bondinhos

Durante o nosso passeio pela Praia Vermelha também aproveitamos para dar uma olhadinha no Pão de Açúcar. A foto não é muito boa, mas dá para ver dois pontinhos no ar, que são os bondinhos que vão do Morro da Urca ao Pão de Açúcar. Naquele fim de tarde, o morro estava encoberto por uma nuvem. 

O gremista na Urca



Aqui está o gremistazinho, conversando com o colorado sem camisa, no dia em que os gaúchos dominaram a Urca!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Bah!

Sábado passado, depois de andar por Copacabana, ver House e tirar um cochilo, fomos dar uma volta na Urca, algo que adoramos e não fazíamos há meses. 

Estacionamos no lugar de sempre e fomos caminhando até a pracinha em frente à Praia Vermelha. Quando estávamos quase lá, o Claudio soltou um bah! Olhei para a frente e vi um casal tomando chimarrão. Andamos mais um pouco e vimos mais uma família com um gurizinho de camisa do Grêmio e também tomando mate. E logo vimos uma coloradinha de bicicleta e - pasmem! - mais um casal cevando um amargo. Fiquei estarrecida. 

Nos sentamos num banco ali e avistamos mais um grupo com a cuia na mão. Quatro famílias! E, depois de observá-los, notei que não estavam juntos. Nisso o menino gremista veio brincar com outra criança e a mãe falou para ele, com sotaque que nem o meu, que o filho dela era colorado! E, para completar, passou um casal de turistas e parou para falar com o gremistazinho, para dizer que eram de Porto Alegre e estavam a passeio.

Eu nunca me senti tão em casa no Rio quanto naquele fim de tarde...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Eu em 1984


Sim, sim, esta sou em 1984!

Tá bom, confesso, é mentira... Achei este site lá no blog do Caio. É engraçado e divertido. O endereço está na foto.

Es regnet in Rio...

E volta a chover no Rio...

domingo, 16 de novembro de 2008

Fotos clássicas em lego

Estava olhando o blog da Megui, amiga de amigos que quase me hospedou lá em Los Angeles anos atrás, e adorei este post dela, que mostra fotos clássicas remontadas em legos. Vejam como ficou a clássica Lunch Atop a Skyscrape, Charles C. Ebbets:



sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Feriados

Nos 10 anos em que trabalhei em redação de jornal, feriados não faziam a menor diferença. Apenas no fim do ano, é que podíamos pensar em considerar um (Natal) ou outro (Ano Novo) feriado - mas nunca os dois.

Agora, nesta reta final de ano, estou me sentindo como naqueles tempos. Feriado não significa muita coisa e nos poucos que ainda restam até o fim do ano, vou trabalhar direto, mas agora é por uma causa bem nobre: as férias! :)

Para quem tem esse direito, segue uma lista enviada por uma amiga:


Feriados 2009 - Brasil

01/01/09 quinta-feira Confraternização Universal
23/02/09 segunda-feira Carnaval
24/02/09 terça-feira Carnaval
10/04/09 sexta-feira Paixão de Cristo
21/04/09 terça-feira Tiradentes
01/05/09 sexta-feira Dia do Trabalho
11/06/09 quinta-feira Corpus Christi
07/09/09 segunda-feira Independência do Brasil
12/10/09 segunda-feira Nossa Sra. Aparecida - Padroeira do Brasil
02/11/09 segunda-feira Finados
15/11/09 domingo Proclamação da República
20/11/09 sexta-feira Zumbi/Consciência Negra
25/12/09 sexta-feira Natal

Ao todo serão:

9 Feriados na Seg/Sex
4 Feriados na Ter/Qui

Total: 13 Feriados (em dia útil)

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Momento twitter 2

Passei tantas horas na frente do computador hoje que estou com dores nas minhas costas. Quanto será que custa uma boa cadeira?

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Vida de frila

O texto a seguir foi inspirado no post mais recente da minha amiga Karlinha e num post feito pelo Maurício ontem.

Depois de tantos anos tendo um trabalho fixo, achei que iria enlouquecer quando resolvi vir para o Rio sem ter nada muito certo. Talvez se tivesse encontrado um bom emprego, hoje eu não estivesse escrevendo este post, é bem verdade. Dei o azar de ter um emprego daqueles que provocam dores nas costas e vontade de ficar doente todos os dias.

Bom, a história teve final feliz: pedi demissão e há pouco mais de um ano trabalho como frila. Sou dona do meu horário e, teoricamente, posso ficar um dia inteiro sem fazer nada se quiser. Na realidade, não funciona bem assim, pois todos os dias tenho algo para fazer. Hoje mesmo, enquanto estou aqui escrevendo este post, estou já pensando num texto que tenho de acabar para uma editora até amanhã. E depois, até o fim do mês, vários outros textos para terminar.

Eu sei que não terei essa vida para sempre, pois acho que no ano que vem voltarei a ter um trabalhinho normal como todo mundo, mas por ora está mais do que bom assim. Imagina, poder sair às três da tarde para tomar um suco de laranja com o namorado... não é para qualquer emprego...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Fora de cena

Faz tantos dias que não publico nada aqui neste blog que ele bem poderia começar a se chamar: fora de cenas do Rio...

É que a vida anda bem corrida neste fim de ano. Sim, porque para mim o ano - de trabalho, pelo menos -, vai ser encerrado mais cedo. No dia 3 de dezembro, começam minhas três semanas de férias, as quais passarei em Santiago, no Chile, e em Mendoza, na Argentina.

Se alguém tiver alguma boa dica de passeio nesses lugares, conte-me.

domingo, 2 de novembro de 2008

Circuito das Estações


Aterro do Flamengo / Rio de Janeiro

Hoje nos levantamos bem cedo. O Claudio correu uma prova de 5km no Aterro do Flamengo. O clima estava bem animado por lá, sob um sol já muito quente. Parabéns ao meu amorzinho pela corrida e também aos amigos Julia e Gilberto. Quem sabe no próximo ano eu também me junte à equipe. :)

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Primavera





Depois do horário de verão, acho que o que eu mais gosto desta época do ano é mesmo da primavera. Desde que vim morar no Rio, tenho plantinhas. Em Florianópolis, nunca fui muito atenda a elas, mas aqui tento cuidar da melhor maneira, trocando a terra, dando água dia sim, dia não. E elas estão respondendo. Minhas araucárias já estão enorme, o pau-brasil e as ameixeiras daqui a pouco vai ter que se mudar e essas florezinhas que eu nem sei o nome estão começando a florir depois de mais de um ano. Elas estavam muito fracas, mas depois de muito papo e cuidado estão dando sinal de melhora. Olhem que lindas as minhas meninas prestes a florir. 

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Cidades brasileiras

Como neste ano não vai mais dar tempo, já estou pensando nas capitais brasileiras que pretendo visitar em 2009. São elas:

1. Porto Alegre - pelo simples fato de nunca ter ido passear em Porto Alegre. Sempre que fui até lá foi para resolver alguma coisa ou estava de passagem.

2. Belo Horizonte - porque fica aqui do lado do Rio.

3. Vitória - pelo mesmo motivo.

4. Salvador - por curiosidade.

Se vier mais alguma, será lucro...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Eita família grande!

Este mapa mostra onde há mais pessoas com o meu sobrenome na Itália. Montão, não?


Nomes italianos

Esses dias estava pesquisando algumas coisas sobre a Itália - lugar que nunca sai da minha cabeça. E achei um site divertido, que fala o significado dos nomes italianos. Se você também tem um nome italiano, saiba aqui o que ele significa. Nesse site também é possível ver onde há maior concentração de pessoas com o mesmo sobrenome italiano. O meu até parece Silva...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

House

Não adianta mais evitar... Já viciei. Não consigo parar de ver House. Acabei a primeira temporada no domingo e hoje recebi o primeiro DVD da segunda. Não vejo a hora de ver pelo menos dois episódios hoje. Para quem ainda não viu, recomendo.


quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Felicidade

Como anunciado anteriormente, uma idéia roubada tanto do blog Certezas biodegradáveis, quando do filme, que adoro, Alta Fidelidade: uma lista de cinco coisas relacionadas a...

Felicidade
1. observar um gato
2. passar uma tarde de papo pro ar conversando com um bando de amigos
3. ir ao cinema, não importa a hora, não importa (muito) o filme - se for uma comédia romântica, tanto melhor
4. jantar num lugar dos sonhos, com uma comida das melhores, companhia escolhida a dedo e um bom vinho para acompanhar
5. terminar satisfeita um trabalho

O que te causa sensação de felicidade?

Projeto de conclusão aplicada

Este é o nome pomposo do projeto final que estou fazendo para conseguir o diploma da pós-graduação em arquitetura de informação. Trabalheira danada, mas vai valer a pena.

Pulando de blog em blog

Quando se está com tempo livre na frente do computador, não há nada melhor do que ficar pulando de um blog para outro. Comecei a fazer isso dias atrás. Do meu próprio blog, fui parar no da Karlinha. Depois de ler as novidades de Dublin, fui bisbilhotar na lista de amigos blogueiros dela. Quanta coisa boa. O primeiro que eu li e virei "sócia" foi o Vida de Frila, que me levou ao Certezas biodegradáveis. Também a partir do blog da Karlinha, cheguei ao blog da Anacris, que me levou ao Hoje vou assim e por aí vai. No próximo post, uma idéia roubada do Certezas biodegradáveis. Aguarde e confie.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Univvverrsso Gentileza



Este é um espetáculo que vale muito.

Univvverrsso Gentileza
até 12 de outubro
de quinta a sábado
20h
Local: Lona de Circo Crescer e Viver - Rua Benedito Hipólito S/Nº (em frente à estação do Metrô da Praça Onze)
Tel: 3972-1391
Ingresso: R$10 (meia para estudantes, idosos e classe artística)
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Para saber mais sobre ele, basta entrar em
http://www.crescereviver.org.br/cv2e0.php?id=35

Centros comerciais


Rio Design Barra / Rio


Em Florianópolis, eu morava bem perto do Beiramar Shopping e volta e meia estava lá. Aqui, apesar de morar praticamente do lado do Botafogo Praia Shopping, não sou uma grande freqüentadora. No mês passado, fui duas vezes ao Rio Design Barra, um shopping que gosto bastante. É grande, sem ser gigante, espaçoso e bem agradável. E todos os programas que fiz lá sempre foram bacanas e bem variados - de jantar no Adegão a entrevista com o Djavan. :)

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Sprichst du deutsch?

Voltei às aulas de alemão! E estou feliz da vida por poder novamente conversar com pessoas na língua que eu gosto tanto. E hoje é aniversário da escola onde estou estudando. 

Então:

Herzlichen Glückwunsch zum Geburtstag, Baukurs!

E agora aufwiedersehen, porque estou saindo para a festa ali no Colégio Corcovado.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Acepipes


Couvert L'Orangerie / Laranjeiras / Rio


Tem algo que gostamos muito de fazer: sair de casa para jantar, lanchar, almoçar. Não que da nossa cozinha não saia nada, mas é tão bom provar coisas diferentes. Esses dias fomos encontrar a sobrinha e a cunhada da Marie, que vieram de Paris passar uns dias aqui no Rio. Escolhemos a L'Orangerie, loja de vinhos de Laranjeiras. Além de comprar vinhos, pode-se degustá-los ali mesmo com pães e pastinhas. Coisa boa. Adoramos o couvert, barato e robusto. Depois, provamos um queijinhos ótimos. 

Falando em lugares cariocas para comer, hoje fui à Cafeína, uma rede de padarias que tem aqui na Zona Sul, e pedi uma massa com molho vermelho. Por que será que complicam coisas são simples? Não foi ruim, mas poderia ter sido muito melhor... Não recomendo. Já o sorvete Itália que comi depois, de doce de leite com coco, é altamente recomendável. Acaba com qualquer problema - menos aqueles ligados à balança. 

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Dias de inverno

Faz dias que está frio no Rio de Janeiro - o que para mim não é nenhuma novidade, claro.

O bom de dias assim é ficar horas num café aconchegante (na hora do almoço fomos tomar um café na Torta e cia. da Cobal Humaitá), ver House enrolada num edredom ou tomar um vinhozinho. Um pouco de tudo isso eu farei até chegar a primavera, na próxima semana...

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Nostálgica

Não sei se é a época do ano ou clima invernoso do Rio, bom para ficar em casa, mas tenho andado meio nostálgica nessas últimas semanas. Talvez seja porque neste época sempre faço uns balanços para ver como as coisas estão indo, faço as contas para ver como está a minha vida. Bom é ver que, apesar de algumas coisinhas precisando de ajustes, tudo vai bem. E o melhor desses dias de setembro é que eles ficam cheios de comemorações, boas lembranças e bons momentos. Quem dera todos os meses fossem setembro - talvez seja isso que eu precise melhorar até o próximo setembro.

Aparelho nos dentes

Depois de quase 19 anos, estou voltando a usar aparelho nos dentes. Este dente que resolveu sair do lugar nos últimos anos tem me incomodado tanto que resolvi tomar uma atitude e colocá-lo em seu devido lugar. Está sendo meio sofrido, tenho uns flashbacks, mas confesso que é bem mais fácil e indolor sair de Borafogo até o Catete uma vez por semana do que de Esmeralda em direção a Vacaria pegando um ônibus da Aguitur.

domingo, 14 de setembro de 2008

Parece que foi ontem

Esta frase é muito clichê, mas é assim mesmo que me lembro da minha festa de 15 anos. Lembro de muitos detalhes daquele dia 14 de setembro de 1991. Foi um dia meio esquisito. Horas antes da festa, uma amiga me controu que se casaria no mês seguinte. Ela era apenas um ano mais velha que eu. Mês que vem, ela comemora 17 anos de casada. :) Na hora da festa, chovia de maneira alucinada. Antes de sair de casa comigo e com a cabeleireira, meu irmão esbarrou numa mesinha lá em casa e um peixinho dourado saiu nadando pelo chão. Pelas janelas, a claridade dos relâmpagos faziam parecer que havia uma boate do lado de fora do salão. Lembro-me que tocou uma música do A-ha. Na hora das fotos, fiz uma com as minhas três melhores amigas na época. Duas delas continuam sendo duas grandes amigas. Eu usava aparelho nos dentes na época. (Estou voltando a usar agora.) A festa não foi ruim, mas o que eu queria mesmo era ter viajado para a Disney.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Momento twitter

Enquanto um pedreiro que parece um daqueles da propaganda da Tigre analisa o que fazer com a parede da sala e o Claudio parece ser mais entendido em vazamentos do que o tal pedreiro, tento dar conta de tudo que tenho para fazer até a hora do almoço...

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Leitura primaveril


Torta & Cia / Cobal Humaitá / Rio de Janeiro

Estamos ainda no inverno, mas hoje está um belo dia de primavera. Espero que eles durem pelo menos até a semana que vem.

Hoje também estou com o espírito primaveril... Acabei de ler um livro de mulherzinha. Fazia tanto tempo que não fazia isso. Estou me sentindo até mais leve. O livro é Os Delírios de Consumo de Becky Bloom, da escritora Sophie Kinsella. Por sorte e por acaso este é o primeiro livro da série. Não vejo a hora de ler os outros. Pena que na ESPM só tem esse... Vou ter que arrumar uma biblioteca ou alguma amiga que já tenha lido... Alguém?

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Fábrica de empanadas




Empanadas home made

Sim, amigos, nós fazemos empanadas, mas - calma -  por enquanto apenas para receber amigos. Na semana passada, no sábado, segunda e terça à noite, preparamos 100 empanadas variadas. De carne e frango a queijo com cebola e goiabada com queijo, passando por calabresa e queijo com orégano. Na sexta-feira, recebemos alguns amigos para degustá-las. Devoraram pouco mais da metade. Isso significa que teremos de fazer mais uma festinha. Alguém quer reservar um convite?

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Outras paisagens

Viver na bagunça acaba bagunçando toda a vida.

Por isso, resolvi começar a organizar tudo - de novo.

Como não estou em casa para atacar gavetas e armários, comecei por aqui mesmo. Limpei, organizei e atualizei a lista de amigos blogueiros. Tem um pouco de tudo. Vale conferir!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Johnny Cash

Ontem, assisti Walk the line, filme sobre os 17 anos de convivência de June Carter e Johnny Cash. Adorei o filme e hoje passei o dia procurando músicas dos dois. Para quem ainda não conhece, aqui dois clipes muito legais.




quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Monotonia ou tons repetidos


Gávea / Rio de Janeiro


Completei ontem dois anos de Rio de Janeiro. Como de costume, comecei a fazer um balanço. Para ser bem sincera não fiquei muito contente. Talvez algumas ocorrências nos últimos dias tenham tirado meu otimismo, mas a verdade é que sempre acho que poderia ter feito mais, que poderia ter aproveitado melhor o tempo. Afinal, o tempo é tudo que temos (ou não temos, como todo mundo anda alegando ultimamente).
Esses dias estava pensando na época em que morava em uma cidade bem pequena, Esmeralda. Lá não ocorriam grandes acontecimentos todos os dias, mas os que ocorriam eram bastante aguardados e aproveitados da melhor forma. Aqui, me parece que todos os dias têm algo diferente acontecendo e assim a todo momento, de um jeito que os dias cheios de fatos acabam ficando tão vazios, ou tão sem nada marcante no final das contas, como aqueles dias sem muito o que fazer lá em Esmeralda.
Claro que a questão não é o lugar onde você está, mas sim como você administra seu tempo, o que você procura de legal para fazer... Aí chego à conclusão de que neste momento estou mesmo é me sentindo muito monótona.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Outono no Rio


Copacabana / Rio de Janeiro


Faz algumas semanas que está meio frio no Rio. Eu saio de casaquinho todos os dias - e não tenho sido só eu. Na semana passada, porém, é que notei que as árvores estavam com as folhas alaranjadas. Achei muito legal, já estava até esquecendo que no outono as árvores perdem as folhas.

Aí me lembrei que já estamos no inverno... e só agora as folhas estão caindo? Isso quer dizer que o inverno ainda está por vir? Já dizia um amigo meu que as estações estão começando bem mais tarde do que antigamente. Espero que a primavera chegue aqui antes do fim do ano...

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Siga sempre a receita!

Nosso primeiro bolinho tinha ficado todo certinho. Fomos inventar moda e vejam só no que deu:
Segundo a mãe do Claudio, virou uma obra de arte. :)
O mais incrível é que o gosto ficou bom...




Ainda bem que a moqueca da Marcela e do Mauro saiu perfeita. Na foto abaixo, ela acaba de receber o leite de coco:

domingo, 27 de julho de 2008

www.youtube.com.br

As últimas semanas foram meio confusas. Vários trabalhos. Um pouco de desorganização. Deadlines não cumpridos. Não que algo tenho mudado muito neste momento, mas hoje resolvi me permitir algumas horas para olhar qualquer coisa que queira olhar na internet. Coisas que não sejam obrigações, que não estejam ligadas ao trabalho ou aos trabalhos de aula.

E foi nesse "não fazer nada" que acabei indo ao You Tube para escutar algumas músicas (uso muito o site para procurar coisas antigas e rever trechos de filmes). De manhã, voltando do Leblon, tinha ouvido uma música do Rod Stewart e resolvi ouvir umas músicas dele. Foi então que me deparei com essa música, que já foi gravada também por outros.

Aqui vai, para quem também estiver curtindo um momento de não fazer nada, apenas passeando pela internet.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Centro cultural do Rio de Janeiro


Centro Cultural Banco do Brasil / Rio de Janeiro


Existe uma área no centro do Rio que se diferencia de todo o resto. Tudo bem que a Cinelândia tem a Biblioteca Nacional, o Theatro Municipal e o Museu de Belas Artes, mas é lá pro meio da Rio Branco, beirando a Presidente Vargas que ficam alguns dos lugares mais legais de se visitar. Eu não sei se aquela região tem um nome específico, mas poderia dizer que é o canto cultural do centro. Lá ficam o Centro Cultural Banco do Brasil, o Centro Cultural dos Correios e a Casa França Brasil. Em breve, haverá ainda o Centro Cultural da Justiça Eleitoral.

É ótimo passar de um lugar para outro, dar uma olhadinhas nas exposições, tomar um café ou, simplesmente, ficar olhando o movimento.

Pena que os arredores fiquem cheios de assustadores guardadores de carros e, indo de metrô, seja meio incômodo e perigoso caminhar da Estação Uruguaiana até lá.

Nem tudo é perfeito mesmo.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Bolo de Caneca


Nosso bolo de caneca


Esses dias recebi um e-mail da Cris, colega da pós, com a receita de um bolo de caneca. Fiquei curiosa para saber se realmente dava certa. Claudio ficou superempolgado. Numa noite, resolvemos colocar em prática a receita. E não é que deu certo? Você bate todos os ingredientes na própria caneca e coloca por três minutos no microondas em potência máxima. Não ficou tão bom quanto um bolo de verdade, mas é uma boa opção quando bate a vontade de comer um bolinho quente.
Aqui vai a receita:

Bolo de caneca

Ingredientes:
- 1 ovo pequeno
- 4 colheres (sopa) de leite
- 3 colheres (sopa) de óleo
- 2 colheres (sopa) rasas de chocolate em pó
- 4 colheres (sopa) rasas de açúcar
- 4 colheres (sopa) rasas de farinha de trigo
- 1 colher (café) rasa de fermento em pó

Modo de Preparo:
- Coloque o ovo na caneca e bata bem c/ garfo.
- Acrescente o óleo, o açúcar, o leite, o chocolate e bata mais.
- Acrescente a farinha e o fermento e mexa delicadamente até encorpar.
- Leve por 3 minutos no microondas na potência máxima.

Dicas
- A caneca deve ter capacidade de 300ml.
- A medida de colher é sempre rasa.
- Vc pode servir este bolo c/ coberturas, caldas, castanhas e sorvete. E pode comer quente!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Domingo no Forte



Vista do Forte de Copacabana


Passar uma tarde no Forte de Copacabana é algo que recomendo a todos. Ainda mais se o dia estiver ensolarado. Fomos num dia de festa, mas em qualquer dia é possível sentar-se ao sol, tomar um café na Confeitaria Colombo, ou simplesmente caminhar por lá. O mais legal talvez seja a sensação de segurança. Você pode ficar bem tranqüilo lá dentro, pois é uma região protegida. Vale a pena.

domingo, 13 de julho de 2008

Festival francês no Rio


Fim de tarde em Ipanema

Hoje, tivemos uma tarde deliciosa com nossos amigos no Forte de Copacabana. Foi realizada a segunda edição do Festival C'est si bon (que continua amanhã, dia 14/07, das 13h às 22h), com barraquinhas dos melhores restaurantes franceses da cidade. Foi realmente muito bom. Comi um crepe do Olivier Cozan, que estava muito boa. Para acompanhar nossa tarde, um rosé geladinho. Depois, fomos dar uma caminhada em direção ao sol, que ainda aparecia lá em Ipanema. A praia estava vazia, tinha um ventinho frio, mas a luz estava linda, como bem observou uma amiga.
Dias assim fazem a vida realmente valer a pena.

domingo, 15 de junho de 2008

Parasita




Alguém sabe o nome desta planta?
Não o nome da árvore, mas dessa parasita que acaba chamando mais a atenção do que a árvore. Está em muitas árvores aqui de Botafogo. Uma verdadeira praga. E acho que esta bola nem pode ser comida. :(

sexta-feira, 13 de junho de 2008

De volta e para ficar


Ipanema

Estive andando por aí e agora acho que vou conseguir reativar o blog e dar mais atenção a ele.

No mês de maio, viajei para o Rio Grande do Sul e para Santa Catarina para rever parentes, visitar amigos, saber como estavam todos e reunir forças para dar continuidade à vida aqui no Rio. Não é fácil ficar longe por tanto tempo, mesmo para alguém como eu.

Esta foto foi feita em um dia lindo de outono. Quentinho, mas com uma brisa mais fria para deixar bem claro que estação era aquela. Gostamos muito de caminhar e vez ou outro fazemos o percurso - botafogo/humaitá/lagoa/ipanema/copacabana, voltando de metrô para casa. É um bom passeio, com direito a uma parada para almoço no meio do caminho. Este dia foi assim. Na volta, resolvemos comer num chinês que está ali na Praia de Copacabana há 35 anos. Claudio nunca tinha ido, muito menos eu. Não achei o prato que escolhemos tão bom, mas a vista é linda. O rolinho primavera estava ótimo - vale a pena experimentar.


quarta-feira, 28 de maio de 2008

Na Lagoa...



É Legal Coco.

Sempre que vamos caminhar na Lagoa, costumamos tomar uma água de coco em uma dessas barracas. Elas estão localizadas em vários pontos dos quase 8km de caminhada.

Eu sempre fico me perguntando porque esta frase é escrita assim. Ela inspira várias interpretações. Depois de muito pensar, acho que o nome das barracas é Legal Coco mesmo. Ainda assim, faltaria uma vírgula.

Bom, de um jeito ou de outro, sempre que passo por uma delas, fico rindo. E isso, por si só, já é legal.

domingo, 6 de abril de 2008


Colorado carioca


Adorei este adesivo, claro, como boa gaúcha que sou. Agora, só falta convencer a família para colocar um assim no carro.

Rojões?


Botafogo / Rio de Janeiro


Alguém sabe o que são rojões?
Se não sabe, dê uma passadinha neste restaurante da Voluntários da Pátria... e depois me conte!

domingo, 23 de março de 2008

Exposição Que há por aí?



Minha sogra, Regina Helena, participa até 26 de maio da exposição Que há por aí?.
Suas belas gravuras fazem parte da mostra 1808-2008 - Rio, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian (Rua Benedito Hipólito, 125, Praça Onze), das 11h às 18h.

As frases também fazem parte da exposição.




E estas são algumas das obras de Regina Helena:

quinta-feira, 13 de março de 2008

Espertinho


Smart


Este é o Smart, o carrinho dos meus sonhos. Eu nunca tinha visto um aqui no Brasil e fiquei até com um sorriso no rosto quando avistei este aqui em plena Copacabana.

O Smart faz parte dos meus sonhos desde 1999 quando foi lançado na Alemanha. Por acaso, eu morava lá naquela época e foi amor à primeira vista.

Quem sabe um dia...

terça-feira, 11 de março de 2008

Saladas


Saladinha feita em casa pelo Mauro


Estou em pleno regime. Não que eu queira perder peso, mas preciso baixar algumas taxas que se revelaram em índices assustadores no último exame de sangue.

Saladas sempre me parecem uma boa opção, mas não pode ser com molhos pesados. Senão não adianta de nada. Aqui no Rio existem vários lugares para se montar saladas. Os que costumamos freqüentar são:

Doce Delícia - você escolhe os ingredientes. Creio que a maior custe menos de R$ 15, mas já faz um tempo que não vamos lá. Na última vez, estava prestes a fechar e o atendimento estava meio confuso. Não gostamos muito, mas, de qualquer forma, é um lugar (normalmente) agradável.

Boomerang - Casa de sucos com mais espaço e mais opções de comidas. Pode-se comer desde um hambúrguer até uma tapioca. Comemos saladas, com ingredientes escolhidos pela gente e com o molho que mais nos agrada. Agora, há a filial do Humaitá e mais uma em Laranjeiras. A de Botafogo é mais ampla e arejada, mas a de Laranjeiras não é ruim também.

Empório Pax - Com uma bela vista do Pão de Açúcar, aqui também pode-se montar. Todos esses lugares oferecem a opção de comer com quiche.

Saladas mais gordinhas:

Gula Gula - Pode-se combinar até três no mesmo prato. Minha amiga Márcia gosta mesmo é de comer quiche do dia com salada verde.

Delírio Tropical - Serve vários tipos de saladas. A ceasar é muito boa! Só que são meio calóricas demais para esses meus tempo de regime.

Via Sete - A melhor ceasar do Rio. Só que meio cara, mas vale a pena.

Alessandro e Frederico - Boas saladas, mas caras demais. Uma colega de aula um dia reclamou que pagou R$ 26 por um pé de alface, seis camarões e mais algumas poucas verduras.