terça-feira, 18 de dezembro de 2018

2018, simplesmente obrigada!

Comecei 2018 meio vazia, sem grandes planos (logo eu?), sem grandes expectativas.

Para mim, o ano  novo, ou a nova vida, começou já na noite de 30 de dezembro, quando peguei o voo para a Alemanha. Estava em frangalhos, mas decidida a reunir meus caquinhos para seguir em frente. Como estava, sendo tratada do jeito que estava, de forma tão desrespeitosa, não podia continuar.

O ano começou devagarinho, com as aulas de alemão para preencher o tempo, uma cidade nova, uma vida comigo mesma. E só. Aos poucos, os amigos novos foram surgindo, a cidade mostrou-se mais interessante que o esperado. A vida lentamente começou a ganhar novamente uma cor, algo que desde 2016 parecia impensável.

Quem trai não sabe o mal que faz na vida de uma pessoa. Talvez não saiba a maldade que é, especialmente quando é a pessoa que mais confiamos, que temos como porto seguro.

Quando estava incerta de como seriam os próximos meses, consegui, como não canso de dizer, o trabalho dos meus sonhos. Hoje mesmo, ao entrar no site do MPIL e me deparar com a foto dos funcionários e pesquisadores, senti uma alegria. Antes eram rostos desconhecidos. Agora, cinco meses depois, já são tão familiares.

Hoje estava esperando o ônibus e um dos pesquisadores, que estava passando por ali por acaso, veio falar comigo, agradecer por uma foto (porque na essência não mudamos, continuo fotografando e enviando as fotos). Ele estava tão feliz por uma foto que fiz dele - a qual eu pessoalmente achei muito ruim porque ficou muito clara. Ele estava sorrindo, feliz, agradecido. Fiquei toda alegrinha.

No final, talvez pela falta de grandes expectativas, 2018 revelou-se um ano tão incrível. Claro que me senti sozinha em muitos momentos, mas acho que o saldo é mais do que positivo. Estou numa cidade legal, do tamanho ideal para alguém como eu, no emprego que sempre sonhei (gente, o que pode ser mais legal do que trabalhar numa biblioteca?), cercada de pessoas interessantes e sentindo-me novamente feliz. Talvez ainda não 100%, mas quase.

Obrigada, Alemanha, por ser este país que és.

Que venha 2019!

E um feliz início de ano a todos!


Para, tempo!

Uau! Setembro chegou, foi bem vivido e passou tao rápido! Já estamos quase no meio de outubro. Para, tempo! Está muito rápido. Setembro fo...