quarta-feira, 22 de junho de 2011

Viagem no tempo

Ontem fomos assistir o novo filme do Woody Allen, Meia-noite em Paris. Eu não vi todos os filmes do Woody Allen, mas dos últimos acho que ficou faltando só Sonhos de Cassandra. Você vai conhecer o homem dos seus sonhos pegarei na minha próxima ida à locadora.

Nos minutos iniciais do filme, Woody Allen conquista metade da plateia, aquela metade que já esteve em Paris e ama a cidade incondicionalmente. Ele soube escolher as cenas. São aquelas bem para turistas, mas, convenhamos, são lindas mesmo. Eu reconheci algumas delas de nossa última viagem.

Tenho simpatia pelo Owen Wilson e fiquei feliz em vê-lo neste filme. A atriz, que parece a irmã loura da Paola de Oliveira, eu ainda não conhecia. Ou, se conhecia, não lembrava. Adriana, a bela garota dos anos 20, eu já havia visto em Um bom ano. No mais, é sempre bom ver Kathy Bates.

Além da história que fui gostando cada vez mais ao longo do filme e das imagens de Paris, o que mais gostei foi da curiosidade que o filme nos desperta. Agora, quero ler todos os livros de Scott Fitzgerald. Urgentemente. E também T.S. Eliot, de quem só conheço o pedaço de um texto.

Allen explora um aspecto interessante sobre o tempo. Essa nossa ilusão de que no passado o mundo era melhor. A questão é que quando esse passado era nosso presente, nem tínhamos noção do que ele talvez fosse bom. E sempre foi assim, sempre será assim.

Filmes que voltam no tempo sempre chamam minha atenção. Não que eu tenha visto muitos, mas lembrei-se, claro, do clássico De volta para o Futuro e de Kath & Leopold.

Um comentário:

marie disse...

Concordo com quase tudo! Hehehe...

A Marion Cotillard, que faz o papel da Adriana é tambem a atriz que foi a Edith Piaf no Hino ao Amor. E concordo : é sempre bom ver Kathy Bates!