Tempo

Há momentos em que a vida parece andar mais rápido do que somos capazes de assimilar. Hoje é quinta-feira. Não foi ontem mesmo que foi a outra quinta-feira, feriado da independência. Como foi que esta semana passou tão rápida? O que eu fiz com este tempo?

Quando o dia do aniversário aproxima-se, parece que pensamentos sobre como estou vivendo tornam-se mais frequentes. 41 anos, 26 seis anos da festa de 15 anos, 23 anos e meio que saí de Esmeralda. Fiquei pensando em como usei todo esse tempo. Bem? Mal?

Recorri aos tópicos básicos: o que deu tempo de estudar? Quantas viagens deu tempo de fazer? Quantas pessoas entraram/saíram na minha vida? Quantos relacionamentos valeram a pena? Em umas áreas parece que fiz muito e valeu a pena. Em outras, parece ter havido mais fracasso que sucesso. Será? É fácil julgar, mas tal julgamento nunca é tão claro na hora em que estamos vivendo. 

Chegarei ao dia do meu aniversário com pensamentos e o coração cheios de dúvidas - bem menos do que em 2015, quando a vida parecia tão redondinha; bem mais do que em 2016, quando a vida parecia destroçada.

Apesar de tudo, acredito que as coisas acontecem sempre por uma boa razão. Mais cedo ou mais tarde acabamos nos dando conta disso.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De Porto Alegre a Colônia do Sacramento de carro

Meu (longo) processo de cidadania italiana

Voltei