sexta-feira, 4 de março de 2022

Até quando?

Estou inconformada com os desdobramentos das últimas duas semanas. Quando pensamos que estamos chegando ao fim de um período ruim, chegam notícias ainda piores. A pandemia já está sendo algo horrível e agora essa perspectiva de uma guerra. Sinceramente, haja nervos. 

Apesar de o mundo nunca ter vivido em paz, no meu pequeno mundo nunca houve guerra. Vivi no Rio, é certo, mas apesar de tudo minha rotina era bem tranquila. Sempre que formulo a frase "nunca me senti ameaçada", me sinto uma idiota elitista, pois sempre estive perto de pessoas ou lugares que viviam suas guerras particulares.

Só que agora estou me sentindo nervosa com a situação vivida na Ucrânia. Eu queria, queríamos, só um pouquinho de tranquilidade, programar minhas viagens, poder simplesmente viver sem grandes preocupações. 

Penso que quem nasceu nos anos 1970 no Brasil teve a sorte de ter uma vidinha relativamente tranquila. Pegamos períodos de economia ruim, mas ainda éramos dependentes de alguém e não tínhamos que lidar com esse tipo de problema.

Ou será que sempre estive dentro de uma bolha e nunca percebi que o mundo já era um caos?

Eu continuo dentro de uma bolha com emprego, casa, o suficiente para fazer escolhas. Sinto-me novamente uma tola que se vê nervosa. A situação é séria, mas em caso de uma guerra aqui, eu tenho para onde ir, diferente de tantos. 

2 comentários:

Daniela disse...

oi Rafa, é a bolha sim.

Você aí está bem mais perto da guerra que nós no Brasil, então a preocupação é real. Mas pensando aqui do Brasil, eu penso que essa guerra não é nossa. Claro que é horrível o que está acontecendo na Ucrânia, mas na guerra da Síria não teve essa comoção. Muitos países que estão acolhendo os ucranianos fecharam as portas para os sírios, assim como fecharam a muitos imigrantes africanos originários de outros países em guerra. Eu me preocupo com a possibilidade de virar a 3a guerra mundial, mas penso neles como penso em Israel e Palestina, na Síria, no talibã do Afeganistão.

beijo e se cuida!

Rafaela disse...

Oi, Daniela! Obrigada pela mensagem. Você tem razão. Se eu estivesse no Brasil, acho que nem estaria pensando muito sobre o assunto - além do normal de vez ou outra lembrar com tristeza da situação pela qual estão passando pessoas "comuns" como nós na Ucrânia. Sim, a guerra na Síria, que ainda segue, não teve o mesmo impacto. Eu só fui me conectar um pouco ao conhecer sírios aqui na Alemanha. Nas minhas turmas de alemão em 2018 havia muitos. Com um deles ainda tenho contato mais frequente. Ele ainda sonha em voltar, mas recentemente se casou (com uma síria), vai ter um bebê agora e dificilmente irá voltar. E a Síria que ele conheceu nunca mais será a mesma. Assim como todos esses lugares postos em guerra nunca mais serão.
Beijo e obrigada

Surpresas nem sempre são boas...

A vida nos surpreende de um jeito às vezes.  Meu 2022 estava indo bem, já tinha feito algumas viagens, tinha outras planejadas, iria receber...