domingo, 10 de maio de 2009

Bibliotecas

Estava me preparando para a aula de amanhã, quando teremos uma palestra e um debate com o professor Geraldo Prado, quando resolvi escrever este post sobre um assunto que me atrai desde a mais tenra idade: bibliotecas.

Quando eu estava em uma das primeiras séries, um dos meus passatempos durante as manhãs era brincar de biblioteca. Às vezes, somente a minha irmã pegava livros na bibliteca de brincadeira, às vezes atendia a uma ou duas primas. As fichinhas dos livros eram copiadas do modelo dos livros da biblioteca do colégio e da biblioteca da prefeitura.

Lendo o artigo do professor Geraldo, soube que no Brasil, dos 5.561 municipios, 1.609 ainda não têm biblioteca. Essa era a realidade do povoado de São José do Paiaiá/Nova Soure até a uns anos atrás. Tudo mudou quando o professor Geraldo, vindo desse povoado no interior da Bahia, resolveu comprar uma casa da família e transformá-la em uma biblioteca.

No começo, teve oposição até do padre. Onde já se viu a população ter acesso a livros de Jorge Amado, cheiros de cenas inapropriadas. Depois de muita conversa, o povoado ganhou a biblioteca, algo que muitos nem tinham ideia do que era. Atualmente, a Biblioteca Comunitária Maria das Neves Prado tem um acervo de 45 mil livros.

Quanto a mim, sempre peguei livros em bibliotecas. Lá em Esmeralda, quando não tinha muito o que fazer da vida, ajudava a dona Marli a datilografar as tais fichinhas. E quando a biblioteca foi transferida do prédio antigo para o novo, até ajudei a carregar livros.

Hoje vejo que tive muita sorte de ter bibliotecas tão boas por perto.

3 comentários:

Maurício Oliveira disse...

Também adoro bibliotecas, Rafa. Aliás, cheguei a preparar um projeto de doutorado sobre uma delas - e por isso tenho muitos livros a respeito. "A biblioteca à noite", de Alberto Manguel, é bem legal. Beijo

marie disse...

Tambem tenho lembranças de bibliotecas ; quando era criança, na França, minha mae me levava toda quarta feira na biblioteca da minha cidade natal e eu podia escolher até 4 livros, que eu engolia em poucos dias...Ela continua indo là frequentemente ...Depois, veio o tempo da biblioteca da universidade, que eu nunca realmente gostei : leituras obrigatorias, trabalhos de grupo com colegas, ou traduções de textos de direito em alemão, pfff...
Agora, aqui no Rio, sinto falta de uma boa biblioteca perto da minha casa, para "pescar" e descobrir autores...

Concordo com Mauricio, Alberto Manguel é legal!!
Bjs

Le Vin au Blog disse...

Depois dessas duas indicações, vou procurar o livro do Alberto Manguel. :) Beijos aos dois.