Viagem à Serra Gaúcha

Bem, na verdade a viagem de última hora ao Sul começou em Florianópolis. Resolvi fugir do avião e ficar por ali mesmo no Aeroporto Hercílio Luz na última sexta-feira.

Fim de tarde em Floripa
Fim de tarde em Florianópolis.

Fim de tarde em Floripa
Chegando ao aeroporto.

Ótima decisão, pois pude ver meu afilhado querido, o Nicolas, além, claro, dos compadres, da Camille, do Helton e da Lú (com Cecília na barriga). Foi um jantar muito agradável, desses que você está ali e fica pensando, como estou feliz neste momento.

Saindo dali, peguei um ônibus rumo a Vacaria, para no dia seguinte seguir para Esmeralda, cidade onde morei meus primeiros 17 anos. A razão de sair do Rio e ir para Esmeralda foi o aniversário do tio Nenê, que na foto abaixo aparece ao lado do tio Luis:

tio Nenê e tio Luis

O tio Nenê fez 80 anos no dia 13 de maio. Eu não ia, mas depois coloquei a cabeça no lugar, pedi um dia de folga no trabalho, decidi perder uma aula e optei por ficar perto de pessoas que valem muito a pena. Já tive outros tios, mas agora só tenho os dois.

A festa foi ótima, reencontrei parentes que não via há anos. Fazendo uma contagem por alto com uma das primas, chegamos à conclusão de que somos pelo menos 50 primos. Como eu fui a penúltima a nascer, dá para imaginar que os mais velhos, nascidos em 1940, já têm netos pouco mais novos que eu. Isso é meio engraçado, mas é bem legal também. Minhas amigas de infância eram filhas de primos. :)

Uma delas é a Liliane, mãe do fofo Thor.



Além de ver boa parte dos parentes, ainda consegui rever antigos conhecidos de Esmeralda. É curioso observar que lembro perfeitamente da fisionomia das pessoas, sei que as conheço, mas já começo a não saber mais os nomes. Isso é ruim...

Conversei bastante com uma amiga de infância, a Carla. Lembro do dia em que a conheci, eu tinha quatro anos e ela um pouquinho menos. Estudamos da primeira série ao terceiro ano juntas e ainda fizemos um estágio no mesmo lugar durante dois anos. É tão bom poder ficar perto de alguém tão familiar.

Passada a festa, voltei para Vacaria, de onde iria para Caxias do Sul, Porto Alegre, São Paulo e, finalmente, Rio. Foi um dia longo, passando por diversos tipos de transporte.



Apesar do cansaço e de tudo que ficou me esperando aqui no Rio para fazer, minha decisão de ir não poderia ter sido mais acertada.

Comentários

Hermes Lorenzon disse…
Oi Rafa! Parabéns pelo blog, está muito bonito (com exceção daquele vídeo com o hino do Inter). Voltando à terrinha, heim! Bom proveito neste passeio. Um abraço e manda notícias

Postagens mais visitadas deste blog

De Porto Alegre a Colônia do Sacramento de carro

Meu (longo) processo de cidadania italiana

Voltei