sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Inferno astral?

Assim como não sou muito de dar atenção para TPM também não costumo levar em conta o tal inferno astral, aquele período estranhíssimo que antecede o aniversário. Só que às vezes parece que tanto uma coisa quanto outra nos pegam mesmo que tentemos ignorá-las. Imagina quando vêm juntas...

Acho que fico mais incomodada com a minha vulnerabilidade do que com os problemas em si. Lidar com problemas é o que fazemos ao longo da vida. De um jeito ou outro, conseguimos sempre seguir em frente - vide um post que fiz em 2011 nesse mesmo período, confesso que nem me lembro mais de quem eu esperava uma resposta.

...........

O que o sr. Inferno Astral não contava é que, justamente em seu momento de atuação, eu tivesse três viagens programadas: uma de lazer, uma de estudos e uma de trabalho. Viagens sempre têm um impacto positivo em minha vida. A primeira delas foi tão boa! Não só porque fomos para um lugar abençoado, mas porque estivemos cercados por pessoas com a vibe tão boa, que não houve qualquer chance para mimimis. 

A viagem de estudos foi boa, mas enquanto o gabarito não sair, não conseguirei diminuir o nível de ansiedade. :-/ 

A terceira pareceu mais uma semana de estudos de alemão, tamanha imersão. Nos dois primeiros dias, passei muitas e muitas horas com sete alemães, os quais obviamente só falavam em seu próprio idioma. Não vou negar que foi muito bom. Talvez seja isso que eu precise para simplesmente... falar nesta língua que adoro, mas que me provoca sentimentos contraditórios.

No grupo, estava minha nova chefe. Esta coincidência foi bastante boa, devo dizer. Um dos meus maiores receios em relação a ela era justamente o idioma. Fiz um esforço para conversar com ela especialmente somente em alemão. Para falar a verdade, nunca ouvi ela falar português. Diferente de meu chefe anterior, que falava português melhor do que muito brasileiro, acho que o português dela periga ser mais deficiente do que meu alemão, o que, de certa forma, é uma coisa boa (para mim). 

Durante esta viagem foi apresentado um trabalho que fiz durante as últimas semanas, uma revista com entrevistas e depoimentos de participantes de um programa de intercâmbio. O resultado foi muito positivo, o que me deixou bem feliz. Só não entendo - não entendo mesmo - por que ao invés de simplesmente ficar feliz pelos elogios, meu pensamento se fixe no momento em que tropecei em uma palavra durante a apresentação do trabalho, que foi em inglês. Fico me odiando duplamente, por ter errado e por ficar em crucificando. Argh!

Sobre a revista, fazia tempo que não tinha uma atividade tão, digamos, "jornalística". Tinha me esquecido do quanto isso me faz bem, do quanto me sinto capaz, da alegria de construir um texto. Acho que nos últimos anos tenho feito escolhas que me fazem parecer/sentir extremamente inexperiente, seja na pós-graduação (em uma área que não tenho grande domínio), seja no trabalho (onde não me sinto 100% segura em relação ao alemão). Talvez seja isso que tenha me enfraquecido nos últimos anos.

Ainda bem que já comecei a planejar um futuro diferente - planejar e agir. Ainda faltam alguns anos, mas como o tempo passa rápido, logo voltarei a me sentir segura profissionalmente. E disso eu tenho certeza.

Palácio do Planalto
Beleza
A bandeira que tem um mastro com 27 barras
Congresso Nacional

Vista da Torre de TV
Lá ao fundo o Palácio da Alvorada, que fica perto do hotel

Nenhum comentário: