quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Janeiro: um mês prazeroso

Inspirada no blog da Cacá (a life less ordinary), resolvi fazer uma apanhado geral sobre como foi este primeiro mês de 2014.

Leituras
Consegui ler quatro livros! Isso realmente me deixou muito satisfeita. Estou gostando bastante do Neil Gaiman. Consegui não comprar nem um livro neste mês, apesar da vontade monstra. Vou ver se consigo seguir com esta determinação pelos próximos meses, enquanto vou consumindo o que já tenho em casa e aguardam na fila há anos.

Viagens
Minha vida não seria muito feliz sem uma escapadas de vez em quando. Neste começo de ano, ficamos 10 dias fora do Rio, passeando pelo Rio Grande do Sul. Dias felizes.

Planos
Depois desses 10 dias fora e sem me dedicar muito ao que deveria, resolvi que em fevereiro eu vou me dedicar apenas a duas atividades: as pesquisas de doutorado e os treinos para a corrida de abril.

Pelo caminho

De casa para o trabalho, cruzo com as enfermeiras do Hospital Samaritano que estão trocando de turno.


Na Arte dos Sucos, o movimento já é intenso. Em tempos de colégio, meninas lotam as mesinhas do lado de fora. A calmaria toma conta nesta época de férias.

Logo em seguida, preciso tomar decisões.
Há pelo menos três possibilidades de caminho para sair deste cantinho de Botafogo.

Se vou pela Assunção, vejo empregadas passeando com cachorros. Alguns já são meus velhos conhecidos. Gravo mais os cachorros do que as empregadas, devo confessar.

No pé-sujo da esquina, a atenção concentra-se na televisão que passa notícias. Na loja ao lado, de materiais de construção, a gatinha siamesa sai para a primeira caminhada do dia.

Um dia preciso almoçar no Bar do Esteves. Há quanto tempo planejo isso? Nem me lembro mais.

O lado esquerdo da Marquês de Olinda em direção à praia tem as melhores sombras. Por que será que a calçada precisa ser tão estreita?

Não entendo pessoas que atravessam no vermelho para depois continuarem o trajeto como se fossem lesmas. Deve ter a ver com esta nossa mania eterna de querer demonstrar esperteza.

Quando sigo pela Bambina, é porque tenho segundas intenções. Depois de algumas passadas, entro no Zona Sul. Há pelo menos quatro pessoas que sempre vejo por ali tomando café. Um deles sempre come muitos pães puros - hoje foram três! - enquanto lê o jornal e bebe uma coca-cola zero. Com essa dieta, pode-se imaginar o perfil.

Na mesa redonda, o casal conversa animadamente com aquela senhora macérrima, cheia de tiques. Volta e meia alguém comenta em tom de tristeza: "ela era tão inteligente quando nova". Sempre fico pensando o que pode ter acontecido. Um dia ainda vou perguntar, mas tenho medo de estabelecer uma relação, não sei por quê.

Pela Marquês de Ouro Preto, acompanho o movimento na porta do colégio, onde vez ou outra uma criança faz alguma cena. Atravesso no sinal, como sempre. Sigo até a praia sentindo o cheiro da padaria que foi reformada há pouco e o da pastelaria dos chineses. Dali sempre sai um cheiro azedo.

O sol me pega na praia.

Por ali sigo, suando.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Como se fosse uma baleia

Hoje estou me sentindo uma baleia!

Acho que tem a ver com o fato de ter comido dois pratos de massa ontem à noite e repetido o mesmo modelo hoje na hora do almoço. Estou estufada! Credo!

Sempre que volto de férias, alguma coisa se passa com meu peso. Claro que nada ocorre de maneira inocente. Não conheço nem uma pessoa gorda que não seja assim por comer mais do que deveria. Então não poderia querer que depois de todas as extravagancias da semana passada, tudo continuasse como se nada fosse. Seria fácil demais.

Já foi. Houve uma época em que comer demais durante uns dias não tinha esse impacto todo no meu peso. Tempos idos...

Chato é que esse assunto me incomoda. Quando penso que me livrei dos quilos a mais e posso viver feliz para sempre, lá chegam eles novamente depois de alguma leve ultrapassada dos limites.

Como vale mais ser feliz, lá vou eu  de novo!
Ânimo para a academia.
Ânimo para a comidinha equilibrada!


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A vida é sempre boa quando há férias a planejar

Depois de 10 dias de miniférias, é hora de começar a... planejar a próxima escapada. :-) No intervalo, trabalho um pouco, escrever partes da tese, enfrentar o orientador, terminar um frila...

Parece brincadeirinha, mas é verdade. As próximas férias, no modelo mais longo, já estão agendadas. E, claro que tem que ter uma contagem regressiva, faltam 78 dias. 

Em breve, espero, mudaremos de endereço no trabalho. Se por um lado fico incomodada por não ir mais a pé para trabalho, por outro me deixa feliz a ideia de não precisar mais ter palpitações toda vez que passo pela pedreira da Pinheiro Machado. 

Passamos 10 dias muito agradáveis no Rio Grande do Sul. Não vi todas as pessoas que gostaria, mas passei bons momentos com outras. Deu para descansar, passear, comer bem, fazer caminhadas e ser feliz. 

Daqui a duas semanas farei um curso que estava planejando há tempos. Acho que será muito bom!

Este será um ano ainda melhor que 2013. Estou confiante!

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Um ano de ação

Apesar de o último post de 2013 ter sido uma lista do que gostaria de fazer em 2014, quanto mais o final do ano se aproximava, mais eu pensava que neste novo ano não quero ficar presa as minhas intermináveis listas. Decidi tentar simplesmente viver, fazendo o que estou a fim e o que acho que é necessário para seguir adiante da melhor forma.

Acho que pensar nos dias de forma individual me trará melhores resultados. É o que tenho tentado fazer nesses primeiros dias do ano. Se quero chegar ao meu peso ideal ou ter melhor preparo físico, preciso me mexer para fazer isso hoje, pois assim os resultados chegarão em um futuro bem próximo.

É claro que as listas nos ajudam a lembrar de nossos planos e desejos. O que noto, porém, é que os desejos são muito parecidos de um ano para outro, o que me fez pensar que algo está errado. Se quero realizar algo, não adianta colocar em uma lista de desejos, é preciso já pensar o que posso fazer agora para tornar isso realidade amanhã.

Este tem sido o mote para 2014.

Livros de 2014

21. Der Sprachabschneider, de Hans Joachim Schädlich
20. Um romance grego, de Yvette Manessis Corporon
19. Pura Dinamite, de Jane Evanovich
18. Uma história da leitura, de Alberto Manguel
17. Vida Organizada, de Thais Godinho
16. O poder do coração, de Baptist de Pape
15. Los Angeles, de Marian Keyes
14. Sushi, de Marian Keyes
13. Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, de J. K. Rowling - meu preferido da série
12. Harry Potter e a Câmara Secreta, de J. K. Rowling
11. Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J. K. Rowling
10. Você pode falar com Deus, de Pedro Siqueira
9. Senhora dos Ares, de Pedro Siqueira
8. Senhora da Águas, de Pedro Siqueira
7. O cavalo de lata, de Janice Steinberg
6. Legado, de Nancy Holder e Debbie Viguié (3º da Série Wicked)
5. Fim, de Fernanda Torres
4. Melancia, de Marian Keyes - já tinha lido antes, mas gostei igual. Adoro comédias românticas em forma de livros. :)
3. Nenhum lugar, de Neil Gaiman
2. O cisne e o aviador, de Heliete Vaitsman
1. Intermundo, de Neil Gaiman

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Meus planos de leitura leve para 2014

De repente, me vi apaixonada pelo Neil Gaiman.

Apesar de sempre dar uma olhadinha nas matérias que saem sobre literatura na época da Flip, confesso, constrangida, que não conheço muitos autores contemporâneos. Por isso, admito que "descobri" o Neil Gaiman apenas meses atrás.

Conhecia de nome, mas nunca tinha lido nada dele. A leitura não foi uma escolha minha, de início, fiz dois freelas relacionados a ele e foi assim que começou. Agora me vejo lendo o terceiro livro, por livre e espontânea vontade, e me pego fazendo uma lista do que mais gostaria de ler, como, por exemplo, O Oceano no Fim do Caminho.

Começa assim a lista de livros para 2014, que segue com: Morte Súbita, de J. K. Rowling (que ganhei de aniversário no ano passado); O Chamado do Cuco, de Robert Galbraith, quer dizer, é da Rowling também, mas vamos pensar que é do Robert para diversificar a lista; Cidades de Papel e Teorema Kathe, de John Green, que conheci em 2013 e pretendo acompanhar mais de perto em 2014; também quero ler deixe a neve cair, do John Green e de Maureen Johnson e Lauren Myracle, este vou tentar comprar o e-book em inglês, para dar uma treinada; o novo da Marian Keyes, Chá de Sumiço, que agora trata da irmã Walsh Helen, e, sim, gostaria de ler também Mamy's Walsh A-Z of the Walsh Family; e dois que o Dauro me enviou chamados O sentimento de um fim, de Julian Barnes (dele já li algo anos atrás), e Norwegian Wood, de Haruki Murakami.

Vai ser um ano bom!