sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Sentimentos

Estou desde agosto coletando informações junto a bibliotecas nacionais de diferentes países. Mandei mensagens para 12 bibliotecas e até agora obtive retorno de oito, o que considerei um número bem razoável. Uma delas, porém, me tira do sério. A BN da Argentina tem um e-mail de contato e um formulário de pesquisa. Uma única senhora parece responder aos dois. Já troquei algumas mensagens com ela. Quer dizer, no primeiro e-mail enviado, ela me respondeu que deveria preencher o formulário, que a consulta não poderia ser por e-mail. Preenchi o formulário. Recebi uma resposta da mesma pessoa dizendo que tinha escolher a opção "trapalanda", que se refere especificamente à coleção de jornais. Fiz isso. Depois nunca mais obtive nada, nenhum retorno. Esses dias escrevi para ela, perguntando se não podia ao menos encaminhar os e-mails para os lugares certos. Agora estou pensando em escrever um e-mail dizendo que não deve haver bibliotecários na BN argentina, pois para mim é inadmissível uma biblioteca ignorar seus usuários. 

O ex-diretor da seção de periódicos da BN francesa me escreveu para dizer que havia se aposentado. Seu sucessor, para quem ele encaminhou as minhas perguntas, nunca deu resposta. 

Já de outros lugares recebi retornos imediatos, como da Costa Rica, de Liechtenstein e da Áustria. O colega da Nova Zelândia foi superantecioso. 

*****

Agora estou levantando dados com estudantes para minha pesquisa. Há sempre alguém disposto a ajudar. Esses dias, que estava com os nervos à flor da pele, cheguei a chorar ao receber uma resposta. Fazer doutorado realmente mexe com nosso equilíbrio emocional. 

*****

Ontem morreu uma das minhas primas mais queridas. Eu gosto de todos os meus primos do lado do pai. Somos mais de 40, mas tem alguns com quem tive contato mais frequente. Diana sempre foi muito amorosa e querida. Eu sinto muito que tenha passado tantos anos de sofrimento e que tenha de partir tão cedo. 

*****

Hoje vi um assalto em uma rua supermovimentada de Botafogo. O ladrão, visivelmente drogado, abordou um menino de uns 15 anos, que lhe entregou o celular depois de alguns segundos sem entender o que estava se passando. O ladrão saiu caminhando lentamente, como se nada fosse, certo de que nada lhe aconteceria. Como eu, algumas pessoas notaram o que aconteceu, mas ninguém fez nada. Outros, nos bares lotados do outro lado da rua, nem perceberam. Fiquei me sentindo muito mal com a situação toda.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Tudo que farei até o fim do ano: corrida + estudo

Hoje à tarde caiu uma chuva forte na cidade. Eu adoro chuva! Mesmo quando ela decide cair bem na hora em que eu precisava sair do trabalho e caminhar até o pilates. Tudo bem que são menos de dois minutos de caminhada, mas dependendo da chuva, pode ser uma catástrofe. Sorte a minha é que quando saí, a chuva diminuiu.

Este negócio de morar do lado do trabalho, assim como da academia, do supermercado e de uma rua de bares é fantástico. A vida é tão melhor assim.

Nesta semana voltei aos treinos de corrida. Hoje estou exausta. Corri na segunda. Na terça e na quarta não consegui devido a outros compromissos. Foi bom porque meu corpo descansou. Hoje o treino foi pesado.

A planilha que baixei é para iniciantes, mas acho bem puxados esses treinos nos quais você já tem que correr por longos minutos. Tudo bem que resolvi começar o treino pela segunda semana, para dar tempo de chegar treinada à prova que nos inscrevemos, mas mesmo assim acho bem puxado para quem, teoricamente, estava sedentária.

A aula de pilates foi também pesadinha. Queria ir dormir agora, mas ainda tenho que estudar. Ainda bem que amanhã é sexta-feira e posso dormir até um pouco mais tarde (no meu caso, que tenho me levantado às 5h30, dormir até mais tarde significa até as 7h), pois tenho o dia todo para estudar, além do sábado e do domingo. Agora, pelo próximo mês, vou ficar no Rio, sem viagens, sem compromissos. Apenas me dedicando aos estudos.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Pensamentos

Hoje comecei a colocar em ordem os posts atrasados do Le Vin au Blog. Há vinhos que bebemos faz tanto tempo que nem me lembro mais. É impressionante, no entanto, observar que daqueles que achei muito ruins eu não consegui me esquecer.

Nas outras áreas da vida parece que isso também acontece. Tendemos a esquecer os momentos que deveriam ser os primeiros a vir à mente todos os dias. Lembramo-nos daqueles que deveriam sumir de nossas cabeças. É preciso muita concentração para consertar isso. 

Hoje consegui marcar duas entrevistas da minha pesquisa de doutorado. Escrevi para outros quatro, que ainda não me responderam. Gostei especialmente de uma das respostas. A estudante me disse: "não precisa me agradecer. Hoje é você que está precisando, amanhã serei eu. Temos que nos ajudar." Ela é mestranda e já sacou que conseguir o contato direto com a população-alvo nem sempre é tão fácil. Agora é torcer para outros encontrarem tempo na agenda e para a minha ida à Fiocruz na semana que vem render bons frutos. (Vai render!) O trabalho ainda está longe do fim, mas aos poucos está andando. 

Estou entrando em minha terceira semana no uso regular do método GTD. Eu já havia tentado usar em outros momentos, mas agora que fiz um curso sobre o assunto estou bem mais segura na melhor maneira de usá-lo. Está dando bem certo. Consegui zerar todas as pendências que tinha no trabalho. Coisas que sempre ia empurrando com a barriga, para quando desse. Coloquei na minha programação, reservei um horário para fazer e assim foi! Claro que é precisa melhorar muita coisa, mas comecei e isso é o mais importante para mim neste momento. 

Quando eu me livrar do meu doutorado, quero fazer tantas coisas, mas tantas coisas, que espero que dê tempo para tudo! :) 

Uma das prioridades será voltar a correr. Estou com vontade de voltar agora, mas minha prioridade não é essa.

Continuo gostando muito do pilates. Tem me feito bem. A minha professora voltou das férias e fiquei feliz. 

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Dia cheio

Hoje fiquei tanto tempo na cadeira da dentista que quando saí de lá estava me sentindo com quase 50 anos.

O dia foi cheíssimo. Tenho levantado às 5h30 para estudar. Quando é para ir à academia, me dá uma preguiça. Para estudar tem dado certo. Hoje estou exausta, pois fui dormir tarde ontem. Ainda assim tem valido a pena acordar bem cedo. Para mim funciona melhor do que tentar estudar até muito tarde. Prefiro dormir cedo e levantar cedinho. Isso agora, nem sempre sou assim.

Fiz a assinatura do Spotify Premium. Foi uma decisão acertada. Agora quando vou à academia posso escutar música. Onde ficam as esteiras não pega internet. Como não tenho músicas no celular, nunca podia escutar nada. Agora dá.

Continuo muito apaixonada pelas músicas do Zero Assoluto.

Hoje tive orientação. Correu tudo bem. Consegui estruturar as perguntas da entrevista que pretendo fazer nas próximas semanas. Dá um ânimo quando as coisas andam. Ontem imprimi o rascunho. Deu mais de 100 páginas. Ver o material impresso fez um bem danado. Ainda falta muito, mas está andando.

Nos próximos dias iremos a dois casamentos. Adoro festas de casamento.

Completei três meses de pilates. Agora comecei a sentir os resultados. Já tenho mais domínio sobre meu abdômen. Impressionante. Também não sinto mais dores quando fico muito tempo sentada. A cada semana meu desempenho melhora. Estou contente de ter começado. Tenho tentado também ir à academia, mas sem muita pressão.

Estou com uma dor de cotovelo. Literalmente. Bati duas vezes em poucos dias o meu cotovelo esquerdo. Ai, como dói!