sexta-feira, 4 de março de 2016

De volta para o passado

Apesar de tentar manter a cabeça no aqui e agora, sou uma pessoa nostálgica. Se não me cuidar um pouco, lá estou eu de novo em algumas cenas do passado. Não que eu tenha alguma vontade de voltar ao passado. Não! Eu adoro ter a idade que tenho e, tendo sido bom ou ruim, não tenho nenhuma vontade de voltar ao passado, de voltar a ter outra idade que não a minha. Não entendo pessoas que mentem a idade tampouco aquelas que vivem suspirando que antes era melhor.

De qualquer forma, volta e meia surpreendo a mim mesma relembrando situações passadas. Felizmente tendo a lembrar mais dos bons momentos.

Em um curso que estou fazendo agora tenho duas disciplinas que têm ajudado nesta volta a histórias do passado, uma trata sobre literatura infantil, outra sobre biblioteca escolar. Imagina, tão logo aprendi a ler virei frequentadora assídua tanto da biblioteca do colégio quanto da biblioteca da prefeitura. Tive esta sorte de ter duas bibliotecas à disposição na minha pequenina cidade. E de ter a dona Marli para ajudar nas escolhas dos livros. Por morar nesta cidade de poucas ruas, mesmo com seis, sete anos, eu podia ir sozinha até as bibliotecas.

Pelas minhas memórias (e eu mesma sei que memória alguma é perfeita), em alguma fase da infância eu lia um livrinho infantil por dia e quase todos os dias tinha que ir à biblioteca trocá-lo por outro. O mais curioso é que não me lembro qual professor atendia na biblioteca, mas me lembro da sala em que ficavam os livros e da disposição das estantes. Quando eu já era maiorzinha a biblioteca mudou-se para uma sala maior. Que alegria! Ficou muito melhor.

Outro incentivo à volta a memórias do passado tem sido o spotify. Há dias em que pego selecionando apenas músicas dos anos 1980 e 1990. Aí não tem jeito. Como não me lembrar das festinhas da adolescência ao ouvir Time after time ou Coming around again. :) 

Nenhum comentário: