Um pouco de Münster

Faz pouco mais de um mês que cheguei a Münster. Gostaria de ficar aqui para sempre. Que cidade agradável!

Münster nao é muito grande. Quer dizer, para alguém de Esmeralda, é enorme! Para alguém do Rio, bem pequenininha. Eu acho que é do tamanho ideal. Münster tem 300 mil habitantes, sendo 58 mil estudantes universitários. Há 25 mil estrangeiros de mais de 150 países. No dia a dia, dá para comprovar que somos muitos, pois é possível ouvir muitos idiomas diferentes. Algo que nao era tao comum na Alemanha de 1999, mas que agora é o padrao.

Moro em um bairro afastado, pequeno, que tem duas farmácias, uma pequena livraria, uma igreja, quatro ou cinco restaurantes, dois supermercados, uma associacao esportiva e um correio. Deve ter mais coisas, mas isso foi o que notei em uma caminhada por ali.

Ainda está muito frio (é inverno, afinal de contas!), por isso nao me aventurei muito pela cidade. Imagino ter bastante tempo pela frente. Espero, pelo menos.

Uso ônibus todos os dias, pois meu curso fica no centro. Os ônibus sao a principal forma de transporte público em Münster. Funcionam bem, com regularidade. A menos de 50 metros da porta de casa, tem uma parada. O ônibus passa aos 7, 27 e 47 minutos de cada hora. É bem prático. Os ônibus têm lugares para bicicletas, carrinhos de bebê e carrinhos de idosos, além de cadeiras de roda.

Os idosos bem idosos costumam andar com esses carrinhos, que sao ao mesmo tempo cadeira, andador, cesta para colocar coisas. Acho uma ótima ideia. Eles ganham mais seguranca e mobilidade.

O meu prédio é composto por apartamento bem pequenos, ideiais para uma pessoa. É silencioso e tranquilo. O bom é que tem uma lavanderia coletiva, ou seja, por algumas moedinhas é possível lavar e secar as roupas. Para mim, uma ótima opcao.

Meu único problema até agora, mas que estou prestes a resolver, é o acesso limitado à internet. O apartamento nao tem conexao com a internet e, como nao sei quanto tempo ficarei, nao posso fechar um contrato longo para ter internet ilimitada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De Porto Alegre a Colônia do Sacramento de carro

Meu (longo) processo de cidadania italiana

A Step You Can´t Take Back