sábado, 24 de fevereiro de 2018

Volta à programação normal

Nos últimos três meses e dois dias, fiz algo que não costumo fazer: me expus. E bastante. Normalmente sou bem reservada e, apesar de ter longas conversas com minhas amigas mais próximas, nunca fui de ficar falando muito de sentimentos íntimos. Simplesmente não gosto de ser o centro das atenções. E ponto.

Aprendi, com essa experiência, que o melhor é se manter fiel à essência do que somos. Há bem poucas razões que justifiquem alterar isso.

Talvez, na minha mistura de ingenuidade e mágoa (por me sentir machucada), esperasse empatia. E tive muita! Justamente das pessoas que sempre estiveram próximas, da meia dúzia de amigas que sempre estiveram e sempre estarão ao meu lado. Com quem eu já dividia o que achava importante, fossem alegrias ou tristezas.

Das demais pessoas, obtive desinteresse, julgamento, empatia zero. Algo que neste momento, especificamente, é tudo que não preciso.

Como tudo, foi uma ótima lição. Sempre há um lado bom em tudo.

'Bora gastar tempo com o que vale a pena e com quem me faz/eu faço sentir-me/-se bem.

2 comentários:

Lud disse...

Que lindo ficou o blog!

Quanto à exposição, às vezes é o que consolida uma amizade que está começando. Mas tem seus riscos,sim.

Beijos!

Rafaela disse...

Oi, Lud.
É, você tem razão. :)

Obrigada!

Beijo

Surpresas nem sempre são boas...

A vida nos surpreende de um jeito às vezes.  Meu 2022 estava indo bem, já tinha feito algumas viagens, tinha outras planejadas, iria receber...