terça-feira, 8 de outubro de 2013

Vida que recomeça a cada dia!

Em um tempo em que usar móveis, carros e roupas de décadas passadas virou uma interessante tendência, acredito que ainda temos muito preconceito com quem nasceu na época em que a Variant ainda estava na moda.

Decidi tratar sobre velhos e tecnologia em minha pesquisa de doutorado. Eu ainda não defini qual será o tema específico, mas tenho lido bastante sobre o assunto, em busca – não de uma resposta, mas – da tal pergunta que moverá meus estudos pelos próximos dois anos.

Em uma dessas leituras, me deparei com a seguinte frase: “quando falei para o meu filho que iria construir uma casa aos 65 anos, ele me disse que eu estava louca”. Não pude deixar de me lembrar das expressões de surpresa que recebo ao dizer que minha mãe está mobiliando um apartamento novinho em folha aos 70 anos.

Nada me deixa mais feliz do que ver minha mãe superempolgada com a casa nova.

Ela já teve outra casa nova montada também com esmero – e dificuldades. Agora é diferente. Sem três filhos pequenos para criar, quem ganha atenção são as inúmeras flores do novo jardim, os temperos e hortaliças que crescem felizes na pequena hortinha e as prateleiras da cozinha que recebem babadinhos de  frivolité.

Meses atrás, eu achei que minha mãe nunca mais se animaria com nada. Ela estava com os dois braços imobilizados, precisando de ajuda para tudo. Pois deu a volta por cima, como em várias outras situações ao longo da vida. Esforçou-se para se curar. Uma ou outra dor ainda a acompanharão pelos próximos anos, mas retomou o mais importante: a vontade de viver.

E que viva bastante!
Aproveitando tudo que tem direito... Aos 70, aos 80 anos e o que mais vier. A vida está aí para ser vivida!

2 comentários:

Gisele disse...

Rafaela, querida, nestes cliques aqui que nos levam acolá, cheguei no teu cantinho. Li tudo com muita fluidez. Do que li, umas reflexões: a vida recomeça a qualquer instante, sou a prova viva, mas, felizmente, não a única. Mentalizar o que se quer é o movimento inicial do fazer, é, literalmente, projetar-se. Beijo carinhoso! Gisele

Anônimo disse...

Muito legal, Rafa!
Beijos, Daise.