terça-feira, 29 de julho de 2014

Impaciência

Eu estava com uma tremenda dor de cabeça hoje. Passei o dia todo assim. Para completar, meu computador novíssimo apresentou um defeito - ele acha que a temperatura no Rio é superior a 100 graus e aciona o ventilador de forma ensurdecedora. Resultado: tive de usar um computador velho, que fica em uma sala que chamamos de "a sala do estagiário". No momento não temos estagiário, então fui para lá.

Uma colega, com quem troca meia dúzia de palavras diariamente, passou várias vezes por ali. Sempre que me via fazia algum comentário ou puxava alguma conversa. A tal sala do estagiário fica na sala onde está a máquina do café e a chaleira elétrica. Então, sempre há alguém circulando por ali. Como estava concentrada nos meus textos, nem dei muita bola para quem passava. Pois bem, esta colega decidiu que eu estava muito quietinha e por várias vezes em que passou pela sala repetiu: "a Rafaela é tão quietinha" ou "a Rafaela está tão quietinha".

Eu e minha dor de cabeça pensamos: "Será que ela queria que eu, sozinha nesta sala, estivesse conversando com quem?" "Será que ela queria que eu, concentrada escrevendo um texto, parasse para conversar com cada uma das pessoas que passa mil vezes pela sala?" "Será que ela queria que eu, que preciso fechar uma newsletter até sexta e uma revista até terça, escrevesse conversando?"

Como não consegui encontrar uma resposta compatível, desisti e segui trabalhando, que é para isso que eu saio de casa todas as manhãs.

Nenhum comentário: