sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Anotações pré-carnavalescas

Viagem - Chegou o esperado dia de nossa viagem a Uberlândia, onde nosso amigo Gil estará nos esperando. Com diferença de poucos minutos, também chegarão ao aeroporto Vanessa e Alexandre, vindos de Campinas. Dali, seguimos para Catalão, cidade natal do Gil e da Érika, onde passaremos alguns dias. Estamos bem animados. E estou especialmente feliz por ir passar o carnaval na casa de uma nutricionista.

Nailz - A experiência no Nailz foi ok, nem maravilhosa, nem ruim. Acabei fazendo pé e mão (R$ 30). O lugar é um pequeno corredor, com uma bancada ladeada por cadeiras. Estava lotado. Aguardei um pouco e fui atendida por uma mocinha simpática – apesar de já serem quase 15h e ela ainda não ter almoçado.

O serviço é bom, mas quem projetou o espaço deve ter sido um homem. A mesa é ótima para manicure, mas um desastre para pedicure. É necessário espichar a perna por baixo da mesa. Eu sou pequena e não me senti confortável. Se for alguém maior, simplesmente não vai funcionar.

Eu não costumo tirar toda a cutícula das unhas das mãos, o que sempre provoca reações nas manicures. Há as que aceitam e não estão nem aí, mas, como a de ontem, há as que acham muito feio fazer isso. Como já vivi isso tantas vezes, hoje em dia nem perco meu tempo tentando explicar o meu gosto. Tirando isso, o atendimento foi ok.

Monotonia – Impressionante como nada parece acontecer na sexta-feira pré-carnaval. Pelo menos aqui no trabalho. Até respondi uns 30 e-mails, mas, no geral, não toca o telefone, não chegam visitas... Ainda bem que meu horário termina ao meio-dia às sextas. Férias – Isso me faz pensar que daqui a pouco começam as aulas e logo terei um novo horário de trabalho. Por enquanto, meu horário está muito bom, mas em três semanas tudo será diferente. Não posso reclamar, quem decidiu estudar fui eu!

Carnaval - Neste ano, tinha muita vontade de ir à Sapucaí. A Alemanha será tema da Unidos da Tijuca. Ainda quero viver essa experiência, apesar de carnaval estar longe de ser uma coisa que eu goste. Nunca vi um desfile completo na televisão e nem pretendo. Não me identifico com a ideia toda do carnaval ou com a música. Há muita gente que gosta de samba no Brasil, mas está longe de ser uma música nacional. De qualquer modo, creio que ir à avenida pode ser uma vivência interessante. Quem sabe no ano que vem.

Nenhum comentário: