sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Sexta-feira

Eu não trabalho às sextas-feiras. Já faz alguns anos. Começou ainda com as disciplinas do mestrado. Em um dos semestres havia oferta de duas matérias às sextas. Foi uma boa solução. Gostei tanto que sempre que aparecia uma matéria nesse dia, eu pegava. Foi assim que fiz uma de linguística. :)

Depois que terminei as disciplinas, mantive o meu horário de trabalho sem as sextas-feiras, pois aí poderia me dedicar à tese durante três dias inteiros, o que, teoricamente, faria o trabalho render. Bom, em muitos fins de semana prolongados foi assim mesmo. Em outros, nem tanto.

Muitas vezes tiro este dia para dar uma arrumada na casa, lavar roupa, cozinhar alguma coisa, resolver coisas na rua. Nunca gasto tempo dormindo, mesmo porque o Claudio acorda cedo e fico me sentindo meio mal por dormir até tarde. Não só por isso. Confesso que não me lembro de dormir até depois das nove, só se tivesse ido dormir bem tarde mesmo.

Hoje acordei cedo, sem despertador. São 10h e já fiz inúmeras coisas. Ligar para o conserto do ferro de passar, pedir para enviarem uma revista que não veio, remarcar voo da Gol (ai, que raiva, quando cancelam o voo sem ao menos um pedido de desculpas!), li o Rio Show, passei os olhos pela programação dos cinemas (estou quase livre para me jogar!) e comprei um livro de presente para a mãe, que faz aniversário em março.

Agora me preparo para terminar mais um etapa da revisão da tese. Depois irei à academia. Quem sabe aproveite para pegar o ferro no conserto. Quando saio à rua, gosto de fazer o máximo de coisas possível. Depois de um dia nublado, hoje o sol reapareceu. Tomara que não esquente demais.

Nenhum comentário: