quarta-feira, 26 de junho de 2019

Ah, o verão...

Como se ignorando mudanças climáticas e restringindo-se apenas ao calendário, o verão chegou faz apenas uns poucos dias a Heidelberg. E chegou com tudo!

Fiz uma viagem no feriadão e quando voltei na segunda-feira, ao desembarcar em Frankfurt, levei uma lufada de ar quente na cara. Foi bom, porque já estava meio cansada do ar fresquinho.

Ontem fez uns 35 graus. Hoje a previsão é chegar quase aos 40. Vamos ver. No trabalho, não precisamos seguir o horário obrigatório. Se a sala ficar quente demais, podemos ir embora. Tirando a parte onde ficam os livros, que é geladinha o ano inteiro, as salas aqui no instituto têm somente calefação, mas não ar condicionado.

A aula de italiano ontem foi quase ao ar livre. A troca de mensagens começou já no meio da tarde, muitos dizendo que estava muito quente para estudar. Organizamos o plano de convencer o professor a fazer a aula em outro lugar. A sala não tem ar condicionado e quando as janelas ficam abertas é difícil ouvir o professor. Como faltam só três aulas para as férias de verão, o professor topou rapidinho. Fomos para um bar ali perto, que fica no clube de remo. Foi ótimo. Claro que fizemos muito pouco de italiano, mas nada como sentar-se para bater papo e conhecer um pouco melhor os colegas.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Um ano

Hoje faz um ano da minha entrevista de emprego aqui no mpil. Estava tão nervosa naquela dia que poderia definir como seria a minha vida dali pra frente. Ainda bem que deu tudo certo. :) Estou feliz por estar aqui. Depois de quase 11 meses de experiência, posso dizer que é um excelente lugar para trabalhar.

***
Ontem foi dia dos namorados no Brasil. É impressionante como uma data puramente comercial pode provocar tantos sentimentos. É legal ver as fotos dos casais. Se eu tivesse um parceiro, provavelmente também nos mostraria na web.
Ao mesmo tempo, a data ainda não me deixa esquecer os últimos dias dos namorados que tive com um namorado. No penúltimo, ele tinha uma outra namorada. Pra ela, provavelmente, ele deve ter mandado mensagens românticas. No último, acho que por instinto de preservação, a data foi ignorada. Credo, isso me causa um mal-estar enorme. Porém, conseguir expor isso (para meus 11 leitores) é reconfortante. Passei quase dois meses sofrendo calada. Conseguir escrever sobre isso, encaro como uma evolução da dor e proximidade da cura.

***
O restaurante a que me levei ontem era bem bonito. Fica no terraço de um dos poucos prédios mais altos de Heidelberg. É um restaurante japonês. Tomei um bom drink e comi umas coisinhas sem peixe. Porque eu adoro restaurante japonês, mas nao consigo nem sentir o cheiro de peixe cru. Sim, sou bem coerente com comida...

Diário do câncer de mama 6 - a primeira quimioterapia

  14.06.2022 Primeira quimioterapia, dia 1 Eu estava bem nervosa naquele dia, acordei supercedo. Comi meio Bretzel. Estava com medo de com...