terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Uma vida com menos plástico

A minha principal decisão de ano-novo é viver com menos plástico - já era uma vontade antiga, mas T. também me inspirou. Não significa que eu vá jogar fora tudo que tenho de plástico em casa, mas decidi ao longo do ano tomar pequenas decisões, que ajudem a mudar meus hábitos de consumo e, consequentemente, diminuir compra e uso de materiais plásticos.

Há mais ou menos quatro meses comprei minha primeira escova de dentes de bambu. Nos primeiros usos nao foi muito fácil, pois sentir a madeira na boca me lembrou a sensacao esquisita das colheres de madeira para tomar sorvete. Bom, depois melhorou. Já testei duas marcas vendidas nas drogarias aqui na Alemanha. Naturalmente com o preco de uma escova de bambu eu compraria tres de plástico, mas vou tentar seguir trocando as escovas por outras de bambu. Ainda nao comprei uma alternativa para a pasta de dente, mas já vi na web que existem opcoes em vidro.

No ano passado, depois da indicacão de uma amiga, decidi comprar calcinhas menstruais. Eu já havia usado por um período o copinho coletor, mas não me adaptei muito bem. Estar com ele em si não era um problema, mas colocar e retirar sempre me deixada meio frustrada. Além do que, o banheiro no trabalho não permite que eu o lave o copo durante o dia, caso precise ou queira. As calcinhas são confortáveis e seguras. Estou gostando da experiência. Comprei aqui na Alemanha as da marca ooshi. Ainda não tinha conseguido me livrar dos absorventes diários. Não os uso sempre, mas são práticos em viagens ou para os dias finais do ciclo. Pesquisei na semana passada e achei alguns feitos somente com algodão, sem plástico, na dm. É difícil escapar do microplástico, mas pelo menos são um lixo mais "degradável" que os normais.

Ainda tenho pelos menos três shampoos em casa, mas a minha ideia é comprar uma opcao em barra para testar quando os outros chegarem ao fim. Também penso em usar um condicionador em barra. Vi que na Lush há algumas opcoes. Daqui a algumas semanas planejo dar uma volta por lá.

Há períodos em que só compro sabonete líquido; em outros, apenas em sabonete em barra. Acho que já está mais do que na hora de voltar aos modelos em barra embalados em papel. Só preciso ver onde colocá-los, assim como o shampoo em barra, durante o banho, para nao derreterem rápido.

Frutas e legumes consigo já comprar há algum tempo sem utilizar sacos de plástico. Os supermercados aqui oferecem também opcoes de sacos de papel quando necessário. Também pensei em utilizar sacos antigos de sapatos para embalar legumes como cebola, batata, cenoura etc. Eu havia pensado em comprar sacos de pano para esse fim, mas lembrei que tenho vários sacos de pano que vieram com sapatos. Vou separar alguns para os sapatos e outros destinar para as compras.

Ontem vi o anúncio de um cotonete reciclável. Como ainda tenho dezenas de cotonetes tradicionais em casa, vou esperar até investir 11 euros num cotonete durável.

Desde o fim do ano passei a comprar uma embalagem maior de iogurte em vidro. Depois de consumi-lo, posso devolver no supermercado, mas estou pensando em guardar mantimentos neles.

Ainda estou pensando numa solucao para as garrafas de água. Eu gosto de tomar água com gás e acabo comprando garrafas PET porque sao mais leves. O ideal seria comprar engradados de garrafas de vidro, mas carregar e armazenas isso ainda é um problema. As garrafas PET sao devolvidas no supermercado aqui na Alemanha, pelo menos. 

Aos poucos, estou escolhendo roupas que sejam feitas de maneira mais sustentável. Isso tem que ser mesmo aos poucos, pois elas custam bem mais do que as de fast-shops.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Recomeço

Hoje estou de volta ao trabalho. A sensação é boa. Eu me sinto feliz por estar novamente aqui na biblioteca. Durante o dia, alguns colegas vieram dar um oi.

Iniciar um novo ano não muda nada na verdade, mas ao mesmo tempo parece que nos enchemos de esperança de que será diferente. Bom, eu estou feliz por continuar aqui.

 Tenho alguns planos para este ano. Nada mirabolante como mudar de país, apenas coisas normais de começo de ano: me alimentar melhor, fazer mais esporte, passar mais tempo com as pessoas de que gosto, ler um livro por mês, assistir a um filme por semana. :-)

As três semanas de férias foram muito boas. As experiências vividas foram positivas, mesmo quando eu nem sempre estava tão disposta a vivenciá-las. Passar praticamente três semanas com o T. também foi uma experiência boa e tranquila. Aprender a esquiar valeu a pena, mesmo que o medo tenha me impedido de aproveitar um pouco mais. Quem sabe numa próxima seja mais fácil.

 Em 60 dias terei férias de novo. Não que eu esteja com pressa, mas estou animada com a próxima viagem.

Diário do câncer de mama 6 - a primeira quimioterapia

  14.06.2022 Primeira quimioterapia, dia 1 Eu estava bem nervosa naquele dia, acordei supercedo. Comi meio Bretzel. Estava com medo de com...