terça-feira, 27 de agosto de 2019

Alegria, alegria

Minhas amigas Eliane e Zilá passaram 10 dias comigo na Alemanha. Fiquei muito feliz por elas terem reservado esta enorme parte da viagem para me fazer companhia. Foram dias felizes. Passeamos bastante e aproveitamos os finais de tarde depois que eu chegava do trabalho. Já sinto uma saudadezinha.

Diferente de quando a mãe voltou ao Brasil, porém, desta vez não caí na tristeza quando a casa ficou vazia. Simplesmente porque agora já não me sinto sozinha.

Gente, tem coisa melhor do que estar apaixonada? Não, não tem. :-) Pelo menos eu acho que não tem, especialmente neste momento em que este é o meu estado praticamente em 24 horas do dia. E eu me amo desta forma, porque a vida parece que fica mais leve, mais engraçada e as pequenas coisas - uma palavra bonita aqui, um sorriso correspondido ali - mais interessantes.

Curiosamente, em boa parte da minha vida sempre me achei mais racional do que passional, mas nos últimos anos me dei conta do quanto sigo pela vida baseada em decisões tomadas pelo coracao. Quando descobri isso, fiquei meio chocada, mas agora que sei que sou assim, tento tirar proveito disso.

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Mês incrível

Agosto ainda nem terminou, mas tem tudo para se estabelecer como o meu melhor mês desde que vivo na Alemanha. Festinhas com pessoas interessantes, show, viagens pelos arredores, visitas de amigas, fins de tardes agradáveis e em boa companhia, dias tranquilos no trabalho. Não dá mesmo para reclamar.

Se ficar sem ler notícias do Brasil, aí sim que parece mesmo que a vida é maravilhosa. Infelizmente esta parte é bem complicada. Eu queria muito virar as costas, mas não consigo. Acordo no meio da noite sentindo-me angustiada por quem precisa conviver com esses doentes "cidadãos de bem" no Brasil. Com todo meu coracãozinho, desejo que esta gente nefasta arda no fogo do inferno.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Bate papo

Ontem fui dormir bem cedo. Este era o meu plano ao me deitar às 21h, e deu certo. Eu havia feito uma longa caminhada, estava cansada e havia dormido pouco na noite passada. Queria recuperar o sono. Li um pouquinho e pronto. Dormi. Só que às 3h30... acordei! E quem disse que dormia de novo? Li o capítulo de um livro no kindle até que finalmente consegui dormir de novo, mas de manha acordei exausta. Agora não vou mais deitar tao cedo...

Com o negócio da preguiça para levantar, acabei vindo mais tarde para o trabalho. Ainda cedo perto do horário de outros colegas, mas tarde para os meus padrões.

No meio da manha consegui finalmente encontrar o Juliano, um pesquisador brasileiro que chegou na segunda e vai fazer uma estadia aqui. Foi tao bom revê-lo. Nos conhecemos em 2015 ou 2016, não sei mais, numa seleção de doutorado em Brasília. Fiquei feliz porque assim que o chamei no corredor, ele me olhou e logo já veio sorrindo: - Nós nos conhecemos! A conversa que era para ser rápida, acabou durando meia hora. Sempre acho engraçado como às vezes é tao fácil conversar com certas pessoas - com outras, ao contrário, parece que cada frase é uma forçação de barra.

Para completar o dia meio atípico, em que fiquei tao pouco na minha sala, fui ao depósito de livros no porao, o senhor S. deu uma passadinha para um pouco de conversa fiada e depois ainda fui almoçar com o Stefan, que aceitou ir na cantina de que gosto mais e não no RU, aonde ele vai quase todo dia. Depois ainda deu tempo de tomarmos um cafezinho no sol. Tao bom! Tinha feito algo semelhante outra dia com a Luiza, uma outra brasileira, que infelizmente amanha já está indo embora.

Este mês de agosto está superando qualquer expectativa. :)

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Gilberto Gil

Eu nunca fui muito de MPB, mas às vezes gosto de ouvir uma ou outra música. Por isso, eu consegui chocar até a mim mesma ao comprar por impulso um ingresso para o show que Gilberto Gil faria numa cidade vizinha. E, o mais improvável, arrastar comigo alguém que não entende uma palavra em português.

Como acabaria tarde, acabei ficando na cidade. Um colega de biblioteca me ajudou a tomar esta decisão, olhando mapa, o local do show e os horários de trens. Foi um acerto, pois, infelizmente, a Deutsche Bahn não é mais tão confiável. Um amigo que me encontrou lá para o show, vindo de outra cidade, teve a desagradável surpresa de ver seu trem cancelado poucos minutos antes da viagem. Receber esta notícia à meia-noite e meia não é assim muito legal. Sorte que conseguiu alugar um carro e voltar para casa.

O show era do disco novo, chamado Ok ok ok, mas Gil tocou algumas músicas antigas também. O astral estava ótimo. Tinha bastante gente e o concerto foi num lugar bem bonito.

No final, foi agradável ouvir músicas em português.


segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Verão europeu

O verão europeu é bem temperamental, devo dizer, mas nem dá para reclamar. Pelo menos os casaquinhos são mais leves e às vezes fica até bem quente, como aconteceu uns dias atrás. Hoje, porém, amanheceu nublado. Eu gosto de dias nublados, sempre gostei. Lembro que adorava os dias de chuva quando era estagiária de um banco lá em Esmeralda. Eram dias mais tranquilos e as pessoas, que tinham mesmo que ir ao banco, acabavam ficando até um pouco mais e batendo um papo. É claro que semanas e semanas de dias nublados não são legais, mas assim, uma vez ou outra, é bom para dar um acalmada.

Ontem fui a uma apresentacão musical no Castelo de Heidelberg. O castelo é uma ruína, mas tem um charme incrível. Eu sempre fico feliz quando o visito. O concerto fechou o festival que estava sendo realizado lá em cima desde o final de junho. É como se o verão estivesse entrando na reta final, o que de certa forma é verdade. Os dias já começaram a diminuir. Meu plano é aproveitar agosto da melhor forma possível. E sei que vou, já que estarei com visitas durante quase metade do mês, para minha alegria.

***

Sábado fui a minha primeira festa de aniversário na cidade. Foi bem legal. Existem algumas áreas para fazer churrasco nas florestas por aqui. A reserva costuma ser feita com um ano de antecedência. Esses dois novos amigos já comemoram juntos há 12 anos. Até agora nunca choveu no dia da festa. No sábado, o dia começou terrivelmente feio, mas depois do meio-dia o sol surgiu e ficou até mais quentinho. As festas aqui começam no finalzinho da tarde, o que acho maravilhoso. Quando termina, ainda dá para voltar de ônibus para casa.

Como a festa foi no alto da montanha, precisei arrumar uma carona. E aí tive uma grata surpresa. A pessoa a quem pedi a carona, já ia levar toda a parafernália da festa, mas me indicou outra possibilidade. No dia da festa ainda me escreveu para ver se eu tinha conseguido e me dando outras duas alternativas. Eu me senti feliz com a preocupacao. Deu tudo certo, cheguei e saí da festa sem grandes problemas.

Eu gostei da festa também porque, por incrível que pareca, havia vários conhecidos, dos encontros de sábado de manha, e em nenhum momento em senti pouco integrada. Isso realmente é um avanço - e um retorno da postura que adotei nos últimos meses, de certa forma, quando resolvi me arriscar mais para fazer novas amizades.

Diário do câncer de mama 6 - a primeira quimioterapia

  14.06.2022 Primeira quimioterapia, dia 1 Eu estava bem nervosa naquele dia, acordei supercedo. Comi meio Bretzel. Estava com medo de com...