quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Gatilho?

Ontem o marido de uma amiga conclui o doutorado, passou pela banca. Eu fiquei superfeliz por ele, pois a data foi marcada com antecedência e parece que demorou uma eternidade chegar. Hoje de manha, vi que ela me mandou um vídeo com o momento da concessao do título. Foi bem legal. 

Depois, quando já estava no trabalho, lembrei da minha própria defesa, da presenca da minha amiga Angela, que partiu neste ano, da época do final do doutorado. Pensei no recém-formado doutor e imaginei que hoje deve ter amanhecido aliviado. 

Repentinamente senti algo tao ruim. 

Logo em seguida, fiquei me perguntando se esse é o tao famoso gatilho que muitas vezes já vi mencionado no twitter, mas nunca consegui entender bem. 

Apesar de pensar em uma situacao totalmente positiva e que me deixa feliz, a defesa de doutorado do conhecido, ao lembrar do meu dia seguinte, que foi horrível, isso me deixou mal. 

Veio tudo de novo, todos os sentimentos ruins da época. Eu estava feliz pela defesa do doutorado, mas na madrugada passei mal, vomitei, desloquei meu maxilar, tinha uma péssima sensacao em relacao ao meu companheiro, que nao estava nem aí pra nada. 

Ui, credo!!!

Ainda bem que tudo isso já é (ou pelo menos parece ser na maior parte do tempo) passado. 

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Volta ao batente

 A semana de férias foi ótima. Descansamos, andamos de bike, passeamos com a família, conhecemos lugares diferentes. Foi maravilhoso ver o mar, conhecer uma parte do Mar Báltico, molhar meus pés na água fria e salgada, tomar sol, ficar com o nariz vermelho. Os dias em Föhr passaram voando. Depois aproveitamos dias lindos percorrendo de bike o trajeto entre Flensburg e Kiel. Gostei particularmente de Kappeln. Passamos também por Glücksburg, Eckerförd e outras pequenas cidadezinhas bem rurais à beira-mar. O cenário é enfeitado por farois, vaquinhas holandesas e muitas plantações - de milho, especialmente. 

Fomos pegos de surpresa pela greve dos maquinistas. Quando soube que eles fariam greve de quinta à terça, tive certeza de que não estragaria minhas férias por causa disso. Eu ficaria nem que tivesse que aumentar minhas férias. No final, fizemos um pequeno arranjo - enviar as bikes por malote - e voltamos tranquilamente para casa como planejado. A bicicleta chegou com dois dias de atraso, mas chegou. O lado bom é que atingi meus 10 mil passos diários facilmente indo a pé para o trabalho.

Quando cheguei em casa, descobri que os vizinhos tinham organizado um mercado de pulgas no nosso quintal no sábado. Eu não teria nada para vender, mas senti não estar em casa para finalmente conhecer os vizinhos. Nos mudamos em plena pandemia e até agora só conversei com meu vizinho de baixo - que acabou me ajudando durante minha quarentena. 

Aí, quando voltei ao trabalho, descobri que os colegas haviam feito uma caminhada juntos na sexta-feira. Um dos diretores resolveu aproveitar a semana de tempo bom e convidou todo mundo para comer bolo com café num sítio perto de Heidelberg. Ainda bem que a diretora vai fazer algo semelhante daqui a 15 dias e vou poder ir. 

Diário do câncer de mama 6 - a primeira quimioterapia

  14.06.2022 Primeira quimioterapia, dia 1 Eu estava bem nervosa naquele dia, acordei supercedo. Comi meio Bretzel. Estava com medo de com...