sábado, 4 de novembro de 2023

Uma viagem ao frio

Estou no Brasil faz três dias. Depois de quase 30 horas de viagem, cheguei à casa da minha mãe. No dia em que peguei o avião na Alemanha, ela me escreveu contando que estava com covid, havia feito o teste uns minutos antes. Fiquei em um dilema, sobre ir para um hotel nos primeiros dias ou vir direto para casa. Afinal, ela precisava de alguém para lhe cuidar.

Acabei vindo para casa. Estamos as duas de máscara, conversando de longe. Comprei máscaras, álcool em gel, luvas descartáveis e testes. No primeiro teste, a marquinha estava bem forte. No de hoje, ainda aparece, mas bem mais fraca. Eu continuo ilesa e espero que continue assim. 

***

Eu planejei essa viagem lá por agosto. Gostaria de fazer uma pequena viagem com a minha mãe. Inicialmente, havia pensado no Uruguai, mas ela não estava muito bem e acabei não programando nada. No final, foi até melhor. Se ela melhorar até a semana que vem e se eu não estiver infectada, pensamos em ir a Gramado. Vamos ver se vai dar. 

Nesta semana, vou à médica aqui. Quero fazer todos os exames de sangue possíveis, tudo que na Alemanha é tão difícil.

Eu tinha planos de visitar algumas amigas, mas cancelei tudo. Acho que desta vez ficarei mesmo somente por aqui.

***

O gato da minha mãe é totalmente dedicado a ela. Fico impressionada. Quando tínhamos a Mima, sempre que eu ou a minha irmã vínhamos para cá, ela simplesmente ignorava a minha mãe e só ficara ao nosso redor. Agora, o Fafá é que faz isso, mas com ela. Não está nem aí para quem chega. Afinal, no resto do tempo são só os dois em casa. 

***

Está um frio danado aqui. Quando perguntei pra minha mãe, ela me disse: está quente... Agora estou aqui com os pés gelados. Tomara que melhore.


Às vezes, parece ser melhor ser alienada

Escrevi os primeiros dois parágrafos faz um tempão, acho que um mês:

O mundo está sempre em uma convulsão louca, mas há momentos em que parece que piora. Confesso que estou preferindo viver de forma alienada, dentro do possível. Não que em algum momento eu tenha tomado conhecimento mais aprofundado sobre temas de política global. Acesso diariamente pelo menos seis jornais diferentes, do Brasil e da Alemanha, mas o que obtenho são apenas informações superficiais, que já me deixam muito nervosa.

***

Estive de férias por duas semanas. Voltei bem descansada ao trabalho. Na primeira semana, fui para o norte da Itália. Viajei de trem, via Munique e Innsbruck. Que viagem linda de trem. Há momentos em que parece que você está dentro de um daqueles filmes bem feitos de turismo, com montanhas ao fundo, casas bonitas com flores nas janelas, vaquinhas pastando no verde.

Pequenos comentários

No curso de italiano, de vez em quando, escutamos algumas músicas. Uma delas foi “L'isola che non c'è”, de Edoardo Bennato, música q...