quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Mendoza - Paranóia

Esta é a minha rua aqui em Mendoza.
Estou morando com uma senhora mendocina de 58 anos, que tem quatro filhos, mas mora sozinha. Ela é legal, mas meio paranóica. Todos os dias, enquanto tomo café, ela me avisa sobre os enormes perigos de Mendoza. Fala que existem ladrões em todos os lugares.
Sempre me recomenda a olhar para os dois lados antes de sair de casa. E cometeu o absurdo de marca o lado que deve ficar para cima na hora de abrir a porta, pois assim entro mais rápido em casa e não corro o risco de ser pega pelos bandidos.
A casa onde estou tem grades, aquelas correntes elétricas em todos os muros e em todas as janelas. Elas sempre ficam ligadas, por isso, ela me ensinou como desligar caso eu queira ir até o quintal. Nem me arrisquei, né? Vai que salta um larápio do muro?
Bom, já estou meio que de saco cheio dessa paranóia dela. A área onde fica a casa é longe do centro, mas é residencial, só de casas de classe média. Não é o bairro mais elegante da cidade, mas, convenhamos, não tem nada de errado.
Falei com meu professor sobre o assunto e ele falou que essa paranóia existe em toda a cidade. Talvez seja melhor não arriscar, mas pintar a chave achei demais...

2 comentários:

Anônimo disse...

Querida, bom dia!
essa sra. não sabe de onde vc vem?
Assim o nosso Rio parece um paraíso,mas é bom tomar cuidado...deve ser muito ruim viver numa cidade perigosa.
Beijos,Mauro.

Gourmandisebrasil disse...

Está mais neurótico que São Paulo!
bjo

Diário do câncer de mama 6 - a primeira quimioterapia

  14.06.2022 Primeira quimioterapia, dia 1 Eu estava bem nervosa naquele dia, acordei supercedo. Comi meio Bretzel. Estava com medo de com...