quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Reta interminável

Gostaria de dizer que estou na reta final dos meus trabalhos de aula, mas a cada hora me convenço de que estou mesmo é numa reta interminável.
Pessoas furando a fila no correio me tiram mais um pouquinho da esperança na humanidade. Ainda mais quando a caixa é conivente. Fica parecendo que a pessoa que pegou a senha, esperou por 25 minutos para ser atendida é que está errada ao reclamar em voz alta. É feita de idiota diante do sujeito 'bem-educado' que fura fila na maior cara dura.

Nenhum comentário:

Pequenos comentários

No curso de italiano, de vez em quando, escutamos algumas músicas. Uma delas foi “L'isola che non c'è”, de Edoardo Bennato, música q...